Aumentou a percepção de que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva esteve vinculado aos casos de corrupção noticiados nos últimos tempos na mídia, mostra a pesquisa CNT/Sensus divulgada hoje. Segundo o levantamento, 18,2% da população associam Lula aos episódios, ante 13,5% que o faziam em setembro de 2005, no auge das denúncias do escândalo do mensalão.

O levantamento mostra, por outro lado, que caiu fortemente a avaliação de que o PT tinha envolvimento nos episódios. O índice passou de 39,1% em setembro para 22,1% em julho. Para 23% dos entrevistados, o Congresso Nacional está mais vinculado aos casos de corrupção (ante 24,2% em setembro), enquanto 11,3% consideram que o governo está envolvido (ante 10,7% em setembro). Cresceu fortemente – de 12,7% para 25,5% – o total dos entrevistados que não sabem ou não quiseram responder sobre o assunto.

Entre os que disseram que Lula está vinculado às denúncias de corrupção (18,2%), 56,2% consideram que ele tinha conhecimento prévio das irregularidades e 29,2%, que ele participou dos atos ilícitos.

Segundo o diretor da Sensus, Ricardo Guedes, o crescimento da percepção de que Lula está envolvido nos episódios de corrupção pode ser associado à campanha do PFL, que atacou fortemente o presidente. Por outro lado, a queda na vinculação do PT aos episódios pode ter relação com o afastamento de integrantes do partido envolvidos no escândalo.

Dos que não associaram Lula ao escândalo (56,3%), 20,8% o fizeram porque o presidente disse não saber de nada; 18,5% consideraram que todos falaram que ele não sabia, inclusive a oposição; 10,6%, porque ele é um "homem do povo"; 10,5% porque ele "é honesto"; 8,9%, porque ele está "governando bem"; e 8,3%, porque está gerando emprego e renda.