Foi aprovado por unanimidade na manhã de ontem, pela Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE), o empréstimo de US$ 80 milhões (cerca de R$ 234 milhões) para o Programa de Transporte Urbano de Curitiba. O financiamento será liberado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A votação no Senado corre paralelamente ao processo de abertura dos envelopes com as propostas da licitação para as obras da primeira fase da concorrência pública do setor sul do Eixo Metropolitano de Transporte. Embora estejam interligadas, uma não impede a outra.

Na última terça-feira (dia 27), a juíza Elisabeth Calmon de Passos, da 3.ª Vara da Fazenda Pública, acatou o pedido de liminar da ação popular proposta pelo vereador André Passos (PT), que alegou irregularidades no licenciamento ambiental. A Prefeitura entrou com recurso para derrubar a liminar na tarde de quarta-feira.

Segundo a Prefeitura a obra terá início neste ano, e vai transformar o trecho urbano da BR-476 (antiga BR-116) numa grande avenida. O objetivo da Prefeitura é garantir o desenvolvimento e o crescimento econômico de 23 bairros ao longo da atual rodovia.

Com a aprovação do empréstimo, o prefeito Cassio Taniguchi (PFL) poderá marcar a data para a assinatura do contrato junto ao BID, o que deve ocorrer logo após seu retorno ao Brasil, no dia 9 de fevereiro. empréstimo para o Programa – no qual está inserido o Eixo Metropolitano de Transporte e outras obras – já havia sido aprovado pelo BID no dia 14 de dezembro. A análise pela diretoria executiva do Banco foi feita com base nos estudos do governo federal, que aprovou o Programa e é avalista do município.

O prefeito em exercício, Beto Richa (PSDB), recebeu a notícia por telefone do senador Jorge Bornhausen (PFL-SC), relator da matéria na CAE. Segundo o deputado federal Eduardo Sciarra (PFL) dentro de alguns dias, o empréstimo deverá ser votado pelo plenário do Senado. Beto quer quer a votação ocorra o mais rapidamente possível.

Obras

O Programa de Transporte Urbano está orçado em US$ 133,4 milhões (R$ 390 milhões). As obras começam neste ano e terão duração de cinco anos, a partir da assinatura do contrato com o BID. Além da transformação da BR-476, o Programa prevê outras obras para a melhoria do trânsito e do transporte de Curitiba em toda a cidade.

A Rede Integrada de Transporte (RIT), que atende 94% dos passageiros de Curitiba e 73% dos que vivem na Região Metropolitana, será ampliada e remodelada com a implantação de terminais, construção de transposições em desnível, ampliação de estações-tubo e aquisição de ônibus articulados para a Linha Direta Inter 2.

Os semáforos instalados ao longo dos eixos de transporte serão sincronizados para que seja dada prioridade ao transporte coletivo. Algumas vias alimentadoras da RIT serão pavimentadas; outras, recapeadas. Além disso será necessário alargar algumas ruas e implantar binários. A ampliação e a recuperação da rede de ciclovias existentes também serão contempladas pelo programa.