O presidente da Confederação Nacional do Comércio (CNC), Antonio Oliveira Santos, afirma que, por causa da burocracia, um brasileiro precisa cumprir 15 etapas antes de abrir uma pequena empresa. Cinco procedimentos a mais que a média mundial, diz.

"O número de passos indispensáveis para a abertura de uma pequena empresa é mínima no Canadá, apenas dois. E é máxima na Bolívia, onde 20 passos são essenciais".

Segundo Antonio Santos, no Brasil, a pessoa leva 67 dias úteis em média para concluir todos os passos, enquanto a média global é de 63 dias. "O procedimento dura dois dias úteis em vários países. O tempo extremo é o caso de Moçambique, que requer 174 dias".

O presidente do CNC destaca ainda o custo para realizar esse processo no Brasil. Ele diz que a média mundial equivale a 34% da renda per capita nacional, mas no Brasil este custo é de 67,4%. "O procedimento usa 0,4% da renda per capita dos neozelandeses e 260% dos bolivianos", completa.

O Senado instalou, nesta quinta-feira, um grupo de trabalho para propor medidas que reduzam a burocracia do Estado. Os parlamentares deverão apresentar as propostas, em 30 dias, ao presidente da Casa, senador Renan Calheiros (PMDB-AL).