Arquivo / O Estado

Marcos Valério divulgou nota em que incrimina Delúbio Soares e o PT.

Brasília – O publicitário Marcos Valério de Souza divulgou uma nota ontem em que admite que contraiu vários empréstimos bancários para o PT em nome de suas agências, entre 2003 e 2005, a pedido do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares. Segundo ele, "todos os pedidos de socorro financeiro feitos pelo senhor Delúbio Soares baseavam-se, de acordo com o próprio secretário do PT, na necessidade de saldar dívidas relacionadas a campanhas eleitorais".

Marcos Valério reafirmou que não tem conhecimento e qualquer envolvimento com a suposta prática do mensalão. A íntegra da nota é a seguinte: "O empresário Marcos Valério Fernandes de Souza torna público que: 1) Em atenção a pedidos do senhor Delúbio Soares, então secretário nacional de finanças do Partido dos Trabalhadores, contraiu vários empréstimos bancários em nome das agências de publicidade SMP&B e DNA, no período de 2003 a 2005; 2) As referidas operações de crédito, bem como toda a movimentação financeira originária daquelas operações, obedeceram sempre às normas vigentes para o sistema financeiro nacional; 3) Os recursos originários dos financiamentos foram transferidos, sempre segundo a legislação que regula o sistema financeiro, para o Partido dos Trabalhadores, a título de empréstimos, e depositados na rede bancária para pessoas indicadas pelo então secretário de finanças do PT, senhor Delúbio Soares. 4) Todos os pedidos de socorro financeiro feitos pelo senhor Delúbio Soares baseavam-se, de acordo com o próprio secretário do PT, na necessidade de saldar dívidas relacionadas a campanhas eleitorais. O empresário Marcos Valério reafirma que não tem conhecimento e, muito menos, qualquer envolvimento com a suposta prática do que tem sido denominado de ‘mensalão’."

Semelhantes

O ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, também prestou depoimento de cerca de duas horas na tarde de ontem ao procurador-geral da República, Antônio Fernando de Souza, assim como fizera o empresário Marcos Valério. Delúbio confirmou a versão dada pelo empresário Marcos Valério de Souza para os empréstimos do PT, nos quais Valério é avalista. Segundo o presidente da CPI dos Correios, senador Delcídio Amaral (PT-MS), os dois depoimentos seguiram a mesma linha, mas não deu detalhes. Delúbio prestou depoimento entre 15h e 17h. Ele compareceu espontaneamente acompanhado de seu advogado, Arnaldo Malheiros. Delcídio contou ainda que o depoimento dado anteontem por Marcos Valério foi centrado nos empréstimos ao partido. Marcos Valério contou ainda que foi orientado por Delúbio sobre os empréstimos e não citou o nome de outros parlamentares nem partidos envolvidos em irregularidades.

O procurador relatou a Delcídio que Valério teria proposto um acordo para amenizar uma possível punição ao empresário em troca de informações. "Ele esperava um compromisso do procurador em troca de efetivamente contar o que ele sabia. Com a negativa do procurador, Marcos Valério assim mesmo se prontificou a fazer esse depoimento", disse o presidente da CPI.