São Paulo (AE) – Um grupo de empresários, entidades de classe e representantes da sociedade civil lançou ontem em São Paulo o movimento Quero Mais Brasil, iniciativa que tem por objetivo mobilizar a sociedade para que ela seja mais ativa na cobrança por ética e transparência e por uma gestão mais eficiente dos gastos pelo poder público.

O movimento tem parentesco com a Frente Brasileira contra a Medida Provisória 232. Com apoio de mais de 2 mil entidades de classe, a Frente conseguiu, há cerca de um ano, derrubar a tentativa do governo de aumentar impostos para prestadores de serviço. ?O sucesso da frente nos fez ver que é possível fazer pressão e mudar as coisas?, afirma Lincoln Pereira, do grupo Telefônica, um dos idealizadores do Quero Mais Brasil.

Uma das primeiras iniciativas coincide justamente com a principal bandeira da Frente contra a 232, de dar mais transparência a cobrança de impostos. O movimento irá batalhar para que as notas fiscais tragam discriminado o quanto o consumidor paga de imposto. ?A intenção é provocar a indignação da sociedade com a alta carga tributária e, com isso, fazer com que a sociedade cobre dos governantes uma gestão mais eficiente? diz Pereira.

De acordo com os organizadores, o movimento é totalmente apartidário e não tem um líder específico. E diferentemente de outros movimentos de mobilização, não haverá gritaria e passeatas pelas ruas. A mobilização se dará pela internet ou pelo telefone, meios pelos quais a população poderá se manifestar e registrar sua indignação.