São Paulo – Continua hospitalizada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital do Servidor Público Estadual a jovem Cláudia Lima Fernandes, de 16 anos, sobrevivente do acidente aéreo ocorrido no domingo (4) com o jato modelo Learjet da Real Taxi Aéreo, no bairro da Casa Verde, na capital paulista.

Segundo o último boletim médico, divulgado na manhã desta terça-feira (6), o estado da jovem é estável, porém grave. Internada na UTI desde domingo, ela teve 30% de queimaduras pelo corpo, concentradas na face e nos membros superiores. Ela é a única sobrevivente da família que residia na principal casa atingida pela queda do avião, da qual morreram seis outros integrantes.

A menina Laís Gonçalves da Silva Coutinho de Mello, de 11 anos, também sobrevivente do acidente, recebeu alta do Hospital estadual do Mandaqui ontem (5) à tarde. Laís estava em observação no Centro de Pediatria. Ela teve ferimentos leves na testa e na boca e um hematoma na coxa.

Ontem (5), o Instituto Médico Legal central da capital liberou os corpos das oito vítimas do acidente aéreo. Os corpos dos seis integrantes da família Fernandes foram enterrados no início da noite no Cemitério Chora Menino, em Santana (zona norte de São Paulo). São eles: Lina Oliveira Fernandes, 75 anos, Ayres Fernandes, 54 anos e filho de Lina, Rosa Lima, 54 anos e esposa de Ayres, Ana Maria Lima Fernandes, 21 anos e filha mais velha do casal, Lucas de Souza Só Júnior, 20 anos e marido de Ana Maria, e Luan Victor de Lima Só, de dez meses e filho de Ana Maria e Lucas.

Também foi enterrado o corpo do co-piloto Alberto Soares Júnior, 25 anos, em Piracicaba, interior paulista. O corpo do piloto Paulo Roberto Montezuma Firmino, 39 anos, foi enviado para ser cremado em São José dos Campos, também no interior. As informações são da assessoria de imprensa do Serviço Funerário Municipal de São Paulo.

Com capacidade para dez pessoas (oito passageiros e dois tripulantes), o Learjet modelo A35 decolou do Campo de Marte às 14h10, com destino ao Rio de Janeiro, e caiu instantes depois, atingindo quatro casas na rua Bernardino de Sena, na Casa Verde. Seis moradores morreram, além do piloto e do co-piloto.