São Paulo – Quem é normal? Se o critério de resposta for o estudo da equipe do Laboratório de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo (HC), apenas 26,4% das pessoas são normais. A porcentagem foi encontrada por acaso. Na verdade, o levantamento do HC tem como objetivo testar os efeitos do antidepressivo cloripramina em voluntários sem nenhum transtorno psiquiátrico. O problema é que, de cada 100 pessoas que se apresentam para participar, cerca de 80 são dispensadas por não preencherem alguns requisitos básicos. E o principal deles é, justamente, ser normal. Para passar na seleção da equipe, é preciso enfrentar três etapas rigorosas. A primeira elimina o maior número de candidatos (53%). Ela baseia-se em critérios de idade (é preciso ter entre 21 e 50 anos), de escolaridade (exige-se 1.º grau completo) e num teste americano chamado Self Report Questionary, ou SRQ, de 20 perguntas. Aparentemente simples, ele é capaz de detectar se a pessoa tem ou não transtornos psicológicos. As chances de acerto são de 80%.