A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) acaba de publicar um comunicado aos passageiros proprietários de equipamentos MacBook Pro de 15 polegadas com orientações de embarque para os aparelhos fabricados entre setembro de 2015 e fevereiro de 2017 pela Apple . De acordo com a agência, foram detectados problemas na bateria de lítio dos computadores, que correm risco de combustão no interior do aviões.

“Os equipamentos defeituosos não devem ser transportados como bagagem de mão nem despachados no porão da aeronave, dados os riscos que representam para as operações aéreas”, recomenda a Anac.

Segundo a agência, os passageiros proprietários de equipamentos da marca devem verificar se o eletrônico é um dos dispositivos afetados pela falha na bateria antes de viajar. A consulta pode ser realizada na página da fabricante.

Ainda segundo a nota da Anac, os passageiros que embarcarem com o dispositivo inapropriadamente serão orientados pelos profissionais das companhias aéreas a manterem o dispositivo desligado e a não recarregarem o aparelho durante o voo. A recomendação é válida até que a fabricante realize a substituição dos modelos defeituosos.

+ Cidade da Grande Curitiba agora tem internet de graça em praça e mais dois locais públicos

“As medidas adotadas pela Anac, que têm por objetivo garantir a segurança das operações aéreas, estão em consonância com as práticas tomadas recentemente pelas autoridades de aviação civil americana, Federal Administration Aviation (FAA), e europeia, European Union Aviation Safety Agency (EASA)”, informou a agência.

Proibição internacional

Em junho, a Apple anunciou o recall dos MacBooks Pro de 15 polegadas e no último dia 14 de agosto os equipamentos foram banidos de voos nos Estados Unidos.

A FAA, agência norte-americana equivalente à ANAC, que regula o setor, determinou que companhias aéreas não permitam o embarque de computadores que ainda não tenham sido examinados pela Apple para trocar a bateria. A restrição vale tanto para transporte na bagagem de mão quanto no interior dos compartimentos de carga. A agência considera que esses MacBooks Pro podem entrar em combustão no interior dos aviões.

Veja como é a nova moeda de R$ 1, lançada em comemoração aos 25 anos do Real