São Paulo – Uma semana depois de o presidente Luiz Inácio Lula pedir votos à prefeita Marta Suplicy (PT), candidata à reeleição em São Paulo, ontem foi a vez do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso declarar publicamente apoio ao tucano José Serra e também criticar o pedido de desculpas feito por Lula em razão do discurso na inauguração de uma obra pública na capital paulistana. Ao deixar a sinagoga Beit Yaacov, em Higienópolis, pela manhã, Fernando Henrique disse que a atitude do presidente foi uma forma encontrada por ele para retomar o assunto. O objetivo, segundo ele, foi o de realimentar o assunto.

“Foi uma maneira de voltar ao mesmo tema. Pediu desculpas e voltou a falar na Marta”, disse Fernando Henrique, que desejou paz à comunidade judaica durante um evento para comemorar o Yom Kippur, o dia do Perdão. Fernando Henrique e Serra se encontraram na porta da sinagoga. Ao chegar, Serra foi saudado pelo ex-presidente. “Chegou o nosso candidato.” Sobre sua participação na campanha tucana em São Paulo, Fernando Henrique foi enfático: “No caso do Serra nem precisa de depoimento. Todo mundo sabe que eu voto em São Paulo, que a gente é amigo e que eu confio nele. Em alguns casos eu nem preciso dar depoimento. Não tenho de ficar envolvido no dia-a-dia da campanha”.

O ex-presidente ainda comentou a vitória do PSDB na Justiça contra as declarações de petistas de que o governo anterior prejudicou a cidade de São Paulo ao barrar a liberação de verbas. Segundo ele, o direito de resposta será institucional. “Eu não gosto de ataques. Campanha deve ser para dizer o que se deseja para a cidade, o que se quer, o que se pensa. Não é do nosso estilo atacar. Agora, quando a coisa começa violenta e distorcendo os fatos, eles (petistas) mostram como são.”

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e a prefeita e candidata à reeleição, Marta Suplicy, têm 48 horas para apresentar sua defesa em razão da representação do Ministério Público Eleitoral (MPE), alegando que a participação do presidente na inauguração da extensão da avenida Radial Leste, no último dia 19, feriu a legislação eleitoral. A determinação foi do juiz da 1.ª Zona Eleitoral, José Joaquim dos Santos.

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) diz que a representação do MPE pede aplicação de multa e envio do processo à Procuradoria Geral da República.