A Controlar, concessionária responsável pela inspeção ambiental veicular na cidade de São Paulo, afirmou nesta sexta-feira, em nota distribuída à imprensa, que cumpre “rigorosamente” todas as obrigações contratuais assumidas com a Prefeitura da capital paulista. A empresa disse que, em relação às ações judiciais, a Controlar já prestou todas as informações que “respaldam a legalidade e a plena vigência do contrato ao Poder Judiciário, a quem caberá a decisão final”.

Nesta semana, o prefeito Fernando Haddad (PT) criticou a empresa e classificou de “caça-níquel” o contrato com o governo municipal, de R$ 180 milhões anuais. A Prefeitura abriu três processos administrativos para tentar romper o acordo. Argumenta que o prazo de concessão de dez anos do contrato, feito em 1995, já expirou, embora tenha entrado em vigor em 2008.

A empresa justifica que uma ordem para implantação do serviço na cidade dada no governo da ex-prefeita Marta Suplicy confirmou a validade do contrato e formalizou aditivos que tratam do prazo do acordo. Além disso, a Controlar afirma que no governo do ex-prefeito Gilberto Kassab este entendimento foi ratificado para que não houvesse mais dúvidas em relação a esse assunto.

“A Controlar acredita no fiel cumprimento do contrato (…) e reitera sua disposição em colaborar no aprimoramento do Programa de Inspeção Veicular”, afirma a empresa. A Controlar tem como acionistas a CSS Participações, que atua nas áreas de energia, transporte, distribuição de gás natural, concessão de rodovias, projetos imobiliários e inspeção veicular; a CCR, que atua nos segmentos de concessão de rodovias, mobilidade urbana e serviços; e a Brisa, a maior empresa de infraestrutura de Portugal.