Rio – O leilão de dois hotéis em Brasília do empresário Sérgio Naya, marcado para o próximo dia 20, foi suspenso ontem por liminar concedida pelo desembargador Carlos Lavigne de Lemos, da 7.ª Câmara Cível. O desembargador atendeu ao pedido dos advogados de Naya, que alegaram que a venda dos hotéis foi decidida antes que se soubesse o valor exato das indenizações.

Pouco depois de o desembargador ter cancelado o leilão, até o julgamento do recurso, chegou à 4.ª Vara Empresarial o cálculo da dívida do empresário com as vítimas. As 81 famílias têm a receber R$ 49,6 milhões, de acordo com o contador judicial Oyama Lopes. Os advogados da Associação de Vítimas do Palace 2 vão contestar esse valor e recorrer da decisão do desembargador.

Nota divulgada pela Assessoria de Imprensa do Tribunal de Justiça informa que os advogados de Naya contestaram a venda dos hotéis, alegando que a decisão foi tomada “em meio a pressões e ao clamor da imprensa e o total desconhecimento do processo”. Ainda segundo a nota, os advogados queixaram-se que “a mídia só tem procurado e divulgado as versões das vítimas”.