O presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Milton Zuanazzi, confirmou a suspensão da venda de passagens pelas companhias aéreas para vôos com partida ou chegada prevista para o aeroporto de Congonhas. Ele afirmou que essa medida pretende assegurar assentos aos usuários que já tem bilhetes emitidos. A medida não tem prazo para ser revogada e está condicionada à volta da normalidade do fluxo de passageiros em Congonhas. A Anac, segundo Zuanazzi, já colocou técnicos para monitorar todos os sistemas de reservas das empresas aéreas para garantir que não haja venda de novos bilhetes.

Ele afirmou que, se os técnicos constatarem a necessidade, poderá haver a suspensão da venda de bilhetes para outros aeroportos. "Estamos repetindo uma medida que se mostrou bem-sucedida no feriado de Ano Novo." Para tentar acabar com o caos das filas nos balcões de check in em Congonhas, a Anac informou que a Infraero fará uma redistribuição dos espaços físicos para melhorar o atendimento aos usuários. A Anac também exigiu das companhias aéreas uma melhora na divulgação de informações aos seus passageiros e ainda proibiu, a partir do próximo final de semana, as operações de vôos fretados no aeroporto de Congonhas.