O advogado Pedro Calmon Filho, que defende a jornalista Mônica Veloso, registrou na noite de sábado um boletim de ocorrência em uma delegacia de Brasília declarando que ele e sua cliente foram ameaçados de morte pelo telefone. Pedro Calmon contou que por volta das 19 horas de sábado atendeu a uma ligação em seu celular. O interlocutor falava com "um sotaque nordestino carregado", de acordo com o advogado. Segundo Calmon, ele disse que se o advogado e sua cliente continuassem a falar amanheceriam com "a boca cheia de formiga.

Minutos após receber a ligação, Calmon foi à 10ª. Delegacia de Polícia, localizada no bairro nobre do Lago Sul, em Brasília. O advogado tem um escritório no bairro. Na delegacia ele registrou o boletim de ocorrência sobre a ameaça. A Polícia do DF confirmou o registro da ocorrência. De acordo com Calmon, a Polícia descobriu que o telefonema ameaçador partiu de um telefone público localizado em frente a uma padaria no bairro Octogonal, localizado no Distrito Federal. No entanto, segundo ele, o autor da ligação não foi identificado.

Mônica Veloso ficou famosa há duas semanas, quando foi revelado que ela manteve durante anos um relacionamento com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Desse relacionamento nasceu uma filha, registrada oficialmente por Calheiros. Recentemente, o ex-casal esteve em uma vara da Família de Brasília acertando detalhes sobre o pagamento da pensão.

O pagamento de valores para Mônica Veloso envolveu Calheiros numa crise nas últimas semanas. Em entrevista concedida à revista Veja desta semana, Mônica afirmou que o dinheiro que recebeu como pensão nos últimos anos era entregue por um lobista da construtora Mendes Júnior. Geralmente, os pagamentos eram feitos no escritório da Mendes Júnior em Brasília, de acordo com a jornalista. Segundo ela, os pagamentos eram sempre em dinheiro vivo.