Uma advogada do Rio Grande do Sul mandou uma carta à ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber. No texto, ela informa que seu cliente – um homem de 80 anos, que aguardava julgamento da Corte há 11 anos – morreu no último dia 16, em Pelotas.

“Parabéns, ministra, pela demora!”, escreveu Lílian Velleda Soares. Segundo o Estadão, Celmar Lopes Falcão era parte de um processo na 2ª Vara Federal de Rio Grande (RS) que tinha como objetivo o reajuste de 28,86% no benefício dele, que teria sido concedido administrativamente pelo Poder Judiciário, em 1999.

No documento, a advogada afirma, ainda, que Rosa Weber “encarna o desprezo pelo outro” e que “informamos também que as pombas fúnebres foram singelas, sem as lagostas e os vinhos finos que os nossos impostos suportam”.