O Chile quer firmar, em regime de urgência, um acordo com o Brasil para que trabalhadores dos dois países sejam segurados do sistema previdenciário. Naquele país, o acordo já foi aprovado no Congresso, mas, no Brasil, segundo o ministro do Trabalho e Previdência do Chile, Ricardo Solari Saavedra, está parado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados. Saavedra, que reuniu-se hoje, em Brasília, com o ministro Ricardo Berzoini, disse que este acordo é necessário porque no Brasil residem cerca de 150 mil chilenos, 70 mil só em São Paulo.

Ricardo Saavedra elogiou a proposta de reforma previdenciária brasileira e disse que, desta forma, o Brasil tem chances de se desenvolver. Destacou que se o governo brasileiro aprová-la, todos os países da América Latina vão ganhar.