Com apoio da Unesco e da Unicef, será criada pela primeira vez, no Brasil, a bolsa-universidade, prevista para ser lançada em abril. A Secretaria de Educação de São Paulo vai distribuir 25 mil bolsas para estudantes carentes estudarem em faculdades particulares. A secretaria paga a metade da mensalidade e a faculdade abre mão do restante do valor.

O diferencial desse projeto é que, para ganhar a bolsa, o estudante terá de pagar em serviços comunitários. Mais precisamente, terá de apoiar escolas públicas, ajudando alunos. Em Goiás, existe uma experiência semelhante, mas a contrapartida não é focada em escolas públicas.