O balanço de pagamentos (receita total do país menos as despesas) registrou superávit (saldo positivo) de US$ 769 milhões no mês de fevereiro, de acordo com o Relatório sobre Setor Externo divulgado hoje (21) pelo Banco Central.

O resultado é conseqüência direta do bom momento do comércio internacional, que possibilitou saldo de US$ 725 milhões em transações correntes, suficientes para abater o déficit de US$ 240 milhões na conta financeira. As transações correntes são as operações do Brasil com o exterior, incluindo receitas obtidas com exportações de mercadorias; gastos com importação; pagamentos de juros da dívida externa; seguros, fretes e transferências unilaterais.

Os destaques em fevereiro foram o superávit da balança comercial (US$ 2,81 bilhões), e o ingresso líquido de investimentos estrangeiros em carteira, que somaram US$ 3,7 bilhões. Enquanto isso, os gastos líquidos com serviços no exterior chegaram a US$ 567 milhões, com aumento de 60,6% em relação a fevereiro de 2005.

O relatório do BC mostra ainda que as reservas internacionais do país cresceram US$ 491 milhões no mês passado e totalizaram US$ 57,4 bilhões. A dívida externa "estimada" (porque os números relativos ao mês só fecham com 90 dias de atraso, em média), caiu mais US$ 450 milhões no mês, comparado ao saldo "consolidado" (o último número fechado) de dezembro, que soma US$ 169 bilhões. Desses, US$ 18,1 bilhões se referem à divida de curto prazo (tudo que deve ser pago nos próximos 12 meses) e US$ 151 bilhões são compromissos de médio e longo prazos.