O prazer de ter um hot rod não é apenas o de circular por aí com um veículo legal, arrancando suspiros, elogios e fotografias da galera. Para quem gosta de carros antigos, a montagem ou restauração do carango também proporciona bons momentos. Foi isso que aconteceu com o administrador Marco Aurélio Cachel, 46 anos, que restaurou uma pick-up Ford 1931 modelo Close Cab.

O Cachel, como os amigos o conhecem, encontrou o Ford velho e em um ano e meio conseguiu restaurá-lo. Na verdade, a única coisa original que tem no carro é a lataria, pois todo o resto foi trocado. O rebaixamento do chassi foi uma das primeiras adaptações. Um novo eixo, mais ou menos com o formato de uma letra “U” foi feito. A cabine, que também teve o assoalho levantado, foi encaixada justamente na parte baixa da letra “U”, o que fez com que a caminhonete ficasse bem próxima do chão. “Muitos optam por rebaixar o teto. Mas quem é alto como eu, fica desconfortável dentro da cabine. Pra não perder este conforto, preferi rebaixar a cabine sobre o eixo”, orgulha-se Cachel, da boa solução que encontrou.

A caçamba também foi encurtada em 21 centímetros. Com isto, o eixo ficou bem no meio da caçamba, que teve o assoalho forrado com madeira e frisos cromados. O motor ganhou a força de um V8 YBlock 292, que tem 200 cavalos, com uma injeção quadrijet. O filtro de ar veio do Cadilac e a transmissão é do C4 automático com câmbio agregado ao volante, outra solução que ele encontrou para melhorar o espaço da cabine, já que o assoalho passou por adaptações e não comportaria três pedais (acelerador, freio e embreagem), apenas dois.

Uma nova suspensão Nene Nhra também agregou o projeto, com uma fourlink atrás e uma suspensão de época na frente. O restante das peças e acessórios foram todos importados. A grade é a do Ford 32, os instrumentos de painel do Ford 51, a coluna e o volante do Ford 40, o pneu é faixa branca e as rodas raiadas de época.

Apelido

Nas portas, a pick-up exibe o nome “Cachelster”. O administrador explica que esta foi uma brincadeira feita por um amigo e que acabou batizando o veículo. Antes de dizer a origem do nome, Cachel explicou que roadster é um carro do tipo aberto. “Estávamos indo participar de um evento, quando um amigo do nosso grupo, a Confraria do Hot, queria saber onde estavam eu e meu carro. Então misturou as duas coisas e saiu um: “Onde está o Cachelster””, diverte-se o administrador. Pouco tempo depois, o apelido deu personalidade ao hot que, a princípio, era para ser um rat rod, ou seja, um carro com mecânica impecável, mas com aspecto “desleixado”, mal pintado, meio enferrujado.

Herança

Cachel é dono de outros dois hots. Um ele diz que é dele. Os outros já deu de presente aos dois filhos, que ainda são crianças. O Cachelster é da pequena Mariah, de 11 anos, que simpatizou com a pick-up e por isto a ganhou de presente. Por enquanto, já que os filhos ainda não dirigem, Cachel se diz tranquilo, algo que ele não garante quando as crianças completarem os 18 anos e tirarem carteira.

Giselle Ulbrich

Veja na galeria de fotos o carro.