O único exemplar existente do Maybach Exelero, carro criado para ser utilizado como carro-teste para a fabricante de pneus da marca Fulda (Fulda Tires), teve seu valor avaliado em US$ 7,8 milhões, o que faz com que o automóvel seja o mais caro do mundo.

O Exelero foi feito sobre a plataforma (base de montagem) do modelo 57 da Maybach, pois a Fulda precisava de um bólido que ultrapassasse a marca dos 350 km/h para testar o pneu de altas velocidades.

Para isso, a Maybach utilizou um 57 S modificado, que ganhou estilo retrô, porém com detalhes bem atuais como as rodas 23” calçadas em pneus 315/25 e tampa do combustível produzida em material metálico. E para atender a Fulda, a montadora equipou a máquina com um motor V12 de 5.9 l, capaz de produzir 700 cavalos de potência.

O resultado foi mostrado em Nardo, na Itália, quando o carro atingiu 351 km/h. Ele acelera de 0 a 100 km/h em 4s4 tornando-se, segundo a empresa, a limusine mais veloz com pneus de produção comercial.

A parceria entre a Maybach e a Fulda começou na década de 1930, quando a montadora criou um veículo especial para testes de pneus. O valor de US$ 7,8 milhões é equivalente a toda produção do Bugatti Veyron Pur Sang, que teve cinco automóveis construídos, a um preço de US$ 1,5 milhão cada. O Exelero foi apresentado pela primeira vez em 2005, no Salão do Automóvel de Frankfurt, na Alemanha.

Desenhado e equipado com tudo que um carro dessa categoria deve ter, como sistemas de navegação por satélite, airbags para todos os lados, regulagens elétricas individuais para cada banco, ABS, ESP etc, o Exelero chegou a 2.660 kg. Em ordem de marcha. Esse é o mesmo peso de picapes grandes ou de utilitários esportivos.

O preço do carro é “salgado”, mas qual o fã de automóveis adoraria ter uma máquina dessas na garagem, avaliada em 5 milhões de euros, o equivalente a R$ 12,5 milhões. Portanto o luxuoso e potente Maybach Exelero é automóvel para poucos.