Serão anunciados hoje à noite os vencedores do 23º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo, em cerimônia que será apresentada por Beth Goulart, eleita melhor atriz carioca em 2009, no Espaço Araguari. A peça “Escuro”, escrita e dirigida por Leonardo Moreira, recebeu o maior número de indicações e concorre em cinco categorias – autor, direção, atriz, cenário e figurino. A homenageada da noite será a atriz e diretora Maria Alice Vergueiro.

O prêmio é oferecido aos maiores destaques do ano, no Rio e em São Paulo, separadamente, em nove categorias – autor, diretor, ator, atriz, cenografia, iluminação, música, figurino e categoria especial. Os vencedores de cada categoria receberão uma escultura em metal do artista plástico Domenico Calabroni e uma premiação de R$ 8 mil.

O júri da edição paulista é formado por Alexandre Mate (professor e pesquisador teatral), Marici Salomão (autora teatral e jornalista), Mario Bolognesi (professor e pesquisador de teatro), Noemi Marinho (atriz, dramaturga e diretora) e Valmir Santos (jornalista).

Confira a lista de indicados:

Música:

(2º semestre)

André Abujamra por “Vida”;

Maestro Fabio Prado por “Bixiga – um musical na contra mão”;

Wilame A.C por “Milagre brasileiro”;

(1º semestre)

Fernanda Maia por “Lamartine Babo”;

Pedro Paulo Bogossian por “Nara”;

Iluminação:

(2º semestre)

Alessandra Domingues por “As três velhas”;

Caetano Vilela por “Dueto para um”;

(1º semestre)

Beto Bruel por “Cinema”;

Wagner Antônio e Juliana Galdino por “H.A.M.L.E.T.;

Figurino:

(2º semestre)

Isabela Teles e Edson Braga por “Bixiga – um musical na contra mão”;

Simone Mina e Carolina Bertier por “As três velhas”;

(1º semestre)

Rosângela Ribeiro por “Policarpo Quaresma”;

Theodoro Cochrane por “Escuro”;

Cenário:

(2º semestre)

Fernando Marés por “Vida”;

Marcelo Maffei por “Roberto Zucco”;

(1º semestre)

Jean-Pierre Tortil por “Side Man”;

Marisa Bentivegna e Leonardo Moreira por “Escuro”;

Categoria especial:

(2º semestre)

Cia. Elevador Panorâmico de Teatro pela pesquisa e criação do espetáculo “Do jeito que você gosta”;

Companhia Club Noir pela pesquisa e criação de “Tríptico [Richard Maxwell] – Burger King, Casa e O fim da realidade”;

Grupo Dolores Boca Aberta Mecatrônica de Artes pela pesquisa e criação de “A saga do menino diamante – uma ópera periférica”;

(1º semestre)

Karin Rodrigues pelo encaminhamento e socialização do acervo pessoal de Paulo Autran a instituições culturais;

Luiz Päetow pela concepção e pesquisa do espetáculo “Abracadabra”;

Direção:

(2º semestre)

Eduardo Tolentino de Araújo por “12 homens e uma sentença”;

Rodolfo García Vásquez por “Roberto Zucco”;

(1º semestre)

Leonardo Moreira por “Escuro”;

Rodolfo García Vázquez por “Hipóteses para o amor e a verdade”;

Zé Henrique de Paula por “Side Man”;

Autor:

(2º semestre)

Giovana Soar, Marcio Abreu e Nadja Naira por “Vida”;

Leonardo Cortez por “Rua do medo”;

(1º semestre)

Francisco Carlos por “Namorados da catedral bêbada”;

Leonardo Moreira por “Escuro”;

Ator:

(2º semestre)

Luciano Chirolli por “As três velhas”;

Norival Rizzo por “12 homens e uma sentença”;

(1º semestre)

Fulvio Stefanini por “A grande volta”;

Lee Thalor por “Policarpo Quaresma”;

Otávio Martins por “Side man”;

Atriz:

(2º semestre)

Bel Kowarick por “Dueto para um”;

Bete Dorgam por “Casting”;

(1º semestre)

Ana Lucia Torre por “Seria cômico se não fosse sério”;

Luciana Paes por “Escuro”;

Homenagem:

Maria Alice Vergueiro, paladino do teatro experimental brasileiro.