Orquestra Sinfônica do Paraná.

Carmina Burana é a grande atração em Curitiba neste primeiro semestre. A obra do alemão Carl Orff será encenada, tocada e cantada no Teatro Guaíra nos dias 28, 29 e 30. Os ingressos já estão à venda e, mais importante, toda a renda será revertida para a manutenção das atividades da Fundação Pró-Renal.

Essa é uma das obras mais populares do repertório erudito de Orff e contará com a Orquestra Sinfônica do Paraná, regência do maestro italiano Alessandro Sangiorgi e interpretada por Sebastião Teixeira, barítono, Marília Vargas – soprano e Paulo Mestre – contratenor, além da participação do Coro Nova Philarmonia e do Papo Coral Infantil. Trazer a ópera para o Brasil só foi possível, com toda essa produção internacional, por causa do apoio da Audi e da Bosch.

Além de prestigiar a cantata mundialmente conhecida por seu êxito em meio à produção musical do século XX, o público paranaense beneficiará a Fundação Pró-Renal – instituição que comemora 20 anos de atuação na prevenção e tratamento da Insuficiência Renal Crônica. Toda a renda da venda de ingressos do concerto será revertida em prol da entidade.

A obra

Carmina Burana significa “Coletânea de Poemas do Mosteiro de Beuron”. O referido mosteiro bávaro tem uma coletânea de poemas e de canções de autoria de religiosos que falam de assuntos profanos, muitas vezes de maneira irreverente, e que foram escritas no século XIII. As criações melódicas são próprias (com exceção do In Taberna Quando Sumus), num estilo propositadamente arcaico.

Carl Orff selecionou 24 poemas da enorme coletânea bávara da Idade Média e ordenou os poemas de forma a dar uma lógica. No Prólogo, a Fortuna (a sorte) parece ser mais forte do que os seres humanos desejariam: a humanidade é impotente frente a ela. Na Primeira Parte – Primo Vere – a música ainda reticente (Omnia sol temperat) descreve o lento degelo no início da primavera. A Segunda Parte – In Taberna – é mais sombria. Os homens se reúnem numa taberna e a maldade humana é descrita pelo canto de um cisne que está sendo servido à mesa (Olim Lacus Colueram).

As vozes femininas voltam à baila na Terceira Parte -Cour D’Amour. A mulher busca o amor na primavera.

Sente-se em dúvida (In Trutina), mas se entrega totalmente (Dulcissime). A glorificação do amor, no entanto, é ofuscada com a volta do coro inicial.

O autor Carl Orff nasceu em 10 de julho de 1895 em Munique, Alemanha e morreu na mesma cidade em 29 de março de 1982. Seu estilo musical foi marcante, sempre associando melodias infantis e rica harmonização em ritmos vigorosos e pulsantes, orquestrados com a extravagância de uma partitura cinematográfica.

Serviço: Carmina Burana de Carl Orff. 28 de maio às 20h30: platéia R$ 50,00 e R$ 40,00; 1º Balcão R$ 30,00; 2.º Balcão R$ 20,00. 29 de maio às 18h00: platéia R$ 40,00 e R$ 30,00; 1.º Balcão R$ 20,00; 2.º Balcão R$ 15,00. 30 de maio às 10h30: platéia R$ 30,00 e R$ 20,00; 1.º Balcão R$ 20,00; 2.º Balcão R$ 10,00. Teatro Guaíra, Rua XV de Novembro, 971. Curitiba – PR Tel.: 41-304-7900 / 304-7999.