Foto: Walter Alves
Washington voltou e fez a alegria
da torcida atleticana.

Em um jogo entre Atlético e Santos, principalmente no Joaquim Américo, o torcedor espera gols. Afinal, são dois times de atacantes de extrema qualidade e de treinadores (Levir Culpi e Vanderlei Luxemburgo) que tem o ofensivismo como tática essencial.

Mas não foi assim o jogo de ontem. Muita marcação, muita correria e muitos passes errados. Gols? Apenas um. Rubro-negro, de Washington (sempre ele), que levou o Atlético à décima primeira posição do campeonato brasileiro.

Entre os torcedores, um ‘ilustre’. O meio-campista Morais acompanharia seus futuros companheiros pela primeira vez. O jogador do Vasco ainda não assinou contrato, mas é certo que ele defenderá o Atlético no brasileiro. Em litígio com o time carioca, Morais acerta uma composição do pagamento das dívidas salariais – o rubro-negro pagaria parte dos atrasados e teria direito a 50% dos direitos federativos do armador. O negócio deve ser fechado até terça.

Morais e os atleticanos se assustaram com o início do jogo. Com liberdade, o Santos atacava com força pela esquerda e mantinha o controle da partida. Os rubro-negros erravam passes e facilitavam a vida dos comandados de Luxemburgo. Parecia, inclusive, que o Peixe estava jogando em casa. Faltava ousadia para o Atlético.

Mas não faltou para Levir Culpi. Ainda no primeiro tempo, ele desmontou o esquema com três zagueiros, sacando Igor e colocando o lateral Raulen. A intenção mais clara era liberar Fernandinho para a criação e começar a oferecer perigo para a defesa santista, que pouco trabalhara.

No segundo tempo, muita correria. O jogo ficou mais disputado, mas faltavam jogadas ofensivas. Os passes errados era muitos, chegando a mais de cem se somados os de Atlético e Santos. Mas ficava claro que os donos da casa estavam mais dispostos, com mais interesse pela vitória. Vanderlei Luxemburgo chegou a colocar o volante Preto Casagrande no lugar de Basílio.

Se alguém queria vencer na segunda etapa, era o Atlético. E o gol veio justamente de Fernandinho, que tomou conta do meio-campo. Ele fez ótima jogada pela direita e cruzou com perfeição para Washington. Sempre ele. O centroavante, que fizera uma justa homenagem a Narciso antes do jogo (os dois passaram por graves doenças e voltaram ao futebol), apenas escorou para levar a Baixada ao delírio e definir a vitória rubro-negra. No outro jogo de ontem, Paysandu 1×2 Vasco.

CAMPEONATO BRASILEIRO
ATLÉTICO 1X0 SANTOS

Atlético: Diego; Marinho, Fabiano e Igor (Raulen); Fernandinho, Alan Bahia, William, Jádson (Bruno Lança) e Marcão (Ivan); Ilan e Washington. Técnico: Levir Culpi

Santos: Júlio Sérgio; Paulo César, Pereira, André Luís e Léo; Paulo Almeida (Leandro Machado), Renato, Elano e Basílio (Preto Casagrande, depois Lopes); Robinho e Deivid. Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Súmula
Local:
Joaquim Américo
Horário: 18 h
Árbitro: Edílson Soares da Silva (RJ)
Assistentes: Eurivaldo Faria Lima (RJ) e Marcos Venício Barros Sá Freire (RJ)
Gol: Washington 27 do 2.º
Cartões amarelos: Fernandinho, Raulen, Alan Bahia (CAP); André Luís, Paulo César, Preto Casagrande (SAN)
Renda: R$ 197.271,00
Público: 17.412 (15.958 pagantes)