Há um otimismo visível entre os jogadores do Vasco, que venceu o Fluminense na última quarta-feira por 1 a 0. Mas também uma apreensão. O time ainda ocupa a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro e enfrenta neste domingo, às 16 horas, fora de casa, pela 28.ª rodada, um adversário direto na luta contra o descenso: o Criciúma.

Além de ter de enfrentar a euforia da torcida catarinense, que vem de uma vitória sobre o vice-líder do Brasileirão, o Grêmio, em Porto Alegre, o Vasco tem um problema a mais para superar: a ausência de Juninho Pernambucano, que continua com dores musculares e nem viajou para Santa Catarina.

O técnico Dorival Júnior minimiza o desfalque com um argumento razoável: o Vasco bateu o rival Fluminense sem Juninho Pernambucano, o maestro do time. Em seu lugar, jogou Francismar, confirmado para o confronto deste domingo.

Para tentar motivar o grupo, a diretoria do Vasco estabeleceu um “bicho” de R$ 10 mil em caso de vitória neste domingo. Não se sabe se a medida vai surtir algum efeito, principalmente porque o Vasco nos últimos meses não tem cumprido nem com o pagamento dos salários dos atletas.

A única mudança do time com relação à vitória sobre o rival tricolor ocorre na defesa. O zagueiro Jomar vai cumprir suspensão por ter recebido o terceiro cartão amarelo. Na vaga dele entra Renato Silva, que atuou pela última vez na 11.ª rodada do Brasileirão.