O torcedor da dupla Atletiba é o que mais traz dinheiro para seus clubes. Pelo menos é o que atesta um levantamento da Pluri Consultoria. Segundo o estudo, o Coritiba é o time que mais arrecada junto ao seu torcedor. Em média, cada coxa-branca se dispõe a desembolsar por ano R$ 62,75 pela sua paixão clubística. É quase o dobro do segundo colocado, o Atlético, onde cada rubro-negro gasta R$ 36,60 por ano com o Furacão, seguido do santista, que embalado pelo fenômeno Neymar gasta R$ 35,90.

O levantamento levou em consideração as receitas de 14 equipes que recentemente divulgaram seus balanços de 2011. Ele se concentra no que os clubes arrecadaram através de suas torcidas, seja na forma de renda dos jogos, associados, venda de produtos oficiais ou pelo sistema pay-per-view (transmissão de partidas em canal fechado). Um exemplo é o Santos, que teve um forte crescimento por conta de Neymar. De 2010 para 2011, a arrecadação pulou de R$ 116,5 milhões para R$ 189 milhões.

O estudo revela que mais do que ter volume de torcedores, o importante é que a torcida seja fiel e compareça no guichê do clube. Exemplos disso são Flamengo e Corinthians, donos das duas maiores  torcidas do Brasil, mas que no levantamento demonstram ter as piores relações receita-torcedor. No time da Gávea, cada rubro-negro gera apenas R$ 6,31 por ano ao clube, enquanto no Timão esse valor é de R$ 11,57, mesmo com um aumento de R$ 212,6 milhões para R$ 290 milhões em sua receita de 2010 para 2011, o que o torna o clube o de maior arrecadação no País.

Só que se Flamengo e Corinthians arrecadassem, por torcedor, o que o Coritiba arrecada, certamente estariam com receitas equivalentes aos mais ricos clubes europeus. Isso porque, o rubro-negro carioca tem hoje quase 30 milhões de simpatizantes, enquanto o Timão conta com 25 milhões. Em termos de comparação, multiplicando esse número de torcedores pela receita que os coxas-brancas geram, Flamengo e Corinthians teriam faturamento superior a R$ 1,5 bilhão por ano.

Despesas

Por outro lado, o Coritiba é o terceiro clube com a maior dívida por torcedor (R$ 104,78) ficando atrás apenas de Botafogo (R$ 203,74) e Fluminense (R$ 146,06). Porém, este valor é de acordo com o levantamento da Pluri.

Segundo o Coxa, dos R$ 111 milhões, aproximadamente R$ 70 milhões são de despesas mensais. Assim, a dívida real seria de R$ 40 milhões, transformando a relação divida-torcedor em R$ 36,36 – neste caso, a oitava maior. Já o Atlético, entre os 14 clubes que fazem parte do estudo, tem o menor endividamento por torcedor. Ao fechar 2011 com déficit de 4,9 milhões, cada atleticano “deve” cerca de R$ 4,10 pelo clube.