A “torcida humana” foi pauta do Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR) na noite desta quinta-feira (7) e, por unanimidade, com sete votos, ficou definida a manutenção da liminar que determina a comercialização de ingressos para a torcida visitante em jogos disputados pelo Athletico na Arena da Baixada pelo Campeonato Paranaense. Os clubes que tiverem interesse em ter a carga de bilhetes quando jogarem com o Furacão terão de fazer o pedido com três dias de antecedência.

No texto, com base no artigo 38 do regulamento da competição está apontado que “o clube visitante tem direito de adquirir a quantidade de ingressos correspondente a até 10% (dez por cento) da capacidade do estádio, desde que se manifeste até três dias úteis antes da realização da partida, em ofício dirigido ao clube mandante, necessariamente com cópia à FPF”.

+ Leia mais: FPF manda ofício pra CBF pra tratar de irregularidade no Paranaense

O assunto ganhou espaço na esfera judicial depois do imbróglio entre Athletico e Coritiba, antes do último Atletiba, vencido pelo Alviverde por 2×1, na Arena. Na ocasião, o Furacão manteve a torcida única e os torcedores do Coritiba que se arriscassem a ir ao estádio, teriam de ficar misturados com os torcedores do donos da casa, sem qualquer uso de cores que remetesse ao Alviverde. Contrariado, o Coxa protestou com frases estampadas em suas camisas e não sobraram farpas do presidente Samir Namur.

+ Veja também: Clubes discutem mudanças no futebol paranaense com a Globo

Os trabalhos começaram com o pronunciamento da Procuradoria do TJD-PR, que explanou por 20 minutos e solicitou o fim da torcida única no Campeonato Paranaense. Na sequência, foi a vez de o Coritiba se pronunciar, durante dez minutos. O ponto alto da fala do Coxa foi o pedido de interdição da Arena da Baixada até a extinção da torcida única. Por fim, houve o pronunciamento do Furacão. Por fim, a matéria foi colocada em votação.

A discussão é por conta do projeto do Ministério Público (MP-PR) em parceria com o Furacão de proibir a presença da torcida adversária com materiais em alusão aos seus clubes, com a única possibilidade de acompanhar as partidas com mando do Rubro-Negro como “infiltrados” no meio da torcida atleticana.

 Confira os jogos e a classificação do Campeonato Paranaense

No clássico contra o Coritiba, no dia 30 de janeiro, na Arena da Baixada, pela quarta rodada da Taça Barcímio Sicupira, o tema gerou grande discussão nos dias que antecederam o Atletiba. A procuradoria do TJD obteve liminar favorável, derrubando o modelo de torcida única, mas a diretoria do Athletico não acatou a determinação.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!