Rogério Ceni foi o herói da classificação são-paulina para as quartas de final da Libertadores, ao defender duas cobranças na vitória por 3 a 1 na decisão por pênaltis, contra o Universitário, nesta terça-feira, no Morumbi. Mas, segundo o goleiro e capitão do São Paulo, ele tinha “obrigação de defender” os pênaltis do time peruano.

Como o jogo do Morumbi terminou 0 a 0, mesmo placar da partida disputada na semana passada no Peru, a decisão foi para os pênaltis. E Rogério Ceni foi o primeiro a cobrar pelo São Paulo, mas errou. Depois disso, porém, ele defendeu duas cobranças do Universitário e ainda viu o adversário chutar mais uma para fora.

“Depois de perder, fiquei com a obrigação de defender”, disse Rogério Ceni, durante a festa pela sofrida vitória no Morumbi. Ele, no entanto, criticou a postura de parte da torcida, que vaiou a equipe. “A gente até já mereceu vaia, mas hoje não. Fomos incompetentes na hora de fazer, mas não deixamos de buscar a vitória”, explicou o goleiro.

Enquanto isso, o atacante Dagoberto tratou de enaltecer Rogério Ceni. “Um jogador que conquistou tudo o que o Rogério conquistou não foi por acaso. Ele é uma referência para o grupo”, afirmou o atacante, que marcou um dos gols do São Paulo nos pênaltis – Hernanes e Marcelinho Paraíba fizeram os outros.