Ígor poderá fazer o papel de líbero.

A polêmica saída e volta do atacante Washington ao time titular do Atlético não conta, mas as outras mudanças que o técnico Mário Sérgio vem promovendo têm um só objetivo: ajustar a equipe para as fases finais do campeonato paranaense. O treinador não gostou das últimas apresentações do rubro-negro e tirou a semana para fazer experiências e buscar a formação ideal nos jogos decisivos. As primeiras modificações serão mostradas amanhã, quando o Furacão tenta confirmar a classificação antecipada diante do Malutrom, às 15h30, em São José dos Pinhais.

“Eu fico muito desconfiado porque o nosso time teve uma subida no início do campeonato que não era esperada. O esperado era, agora, atingir o auge. Aconteceu o processo inverso, nós começamos muito bem e demos uma caída agora”, explica o comandante atleticano. Segundo ele, esta é a hora de fazer experiências com outros jogadores. “A gente tem que dar uma estudada e ver o que é melhor para nós. Escolhermos o time ideal agora, já que essa é a hora decisiva e nós não podemos errar”, revela.

Por isso, tantas mudanças durante a semana. O treinador utilizou o lateral-direito Alessandro (que nem estava mais figurando entre os 19 relacionados) entre os titulares, mas este sentiu uma contusão na coxa esquerda e não será utilizado contra o Caçula. O zagueiro Marinho foi testado e fica no banco amanhã. Quem garantiu lugar foi o zagueiro Ígor. Ele será o líbero no Xingu. Com isso, Rogério Correia será o zagueiro da esquerda, Ramalho foi adiantado para o meio e Fernandinho deslocado para a ala direita.

Sem o mesmo brilho do início da temporada, o meia William ganhou “um tempo” do treinador e ficará à disposição no banco. No restante da equipe, as mudanças são as voltas dos titulares Jádson e Marcão. “Tenho que mudar bastante para ter convicção daquilo que eu vou escalar”, destaca. A tendência é de que novas experiências possam ser feitas na semana que vem, independente do resultado da partida contra o Malutrom.

Classificação

Para Mário Sérgio, o objetivo principal do Atlético no momento é se classificar para a próxima fase. “Nós temos a preocupação de chegar em primeiro para ter a vantagem na final, mas o importante é chegar e, daí então, pensar no título”, finaliza. O rubro-negro tem três pontos de vantagem na classificação geral em relação ao Coritiba. Depois do Malutrom, o Furacão recebe o União Bandeirante no fechamento da segunda fase, dia 21, na Arena.

Marcão e Jádson têm suas posições garantidas

O meia Jádson e o ala-esquerdo Marcão estão de volta ao Atlético com pinta de titulares absolutos. Após cumprir suspensão automática, os dois reassumem seus lugares no time, que enfrenta o Malutrom amanhã, em São José dos Pinhais. Mesmo sem querer admitir, sem eles o time não foi o mesmo diante do Iraty e sofreu para conquistar um empate.

“Tem dias que o time não vai bem e nesse dia, que eu não estava, o time não foi bem, mas não tem nada a ver e faz parte do futebol”, analisa, com modéstia, Jádson. Segundo ele, a idéia é vencer para garantir, de uma vez, a classificação. “O que o Mário (Sérgio, treinador) pediu para a gente é matar logo esta partida para a gente sair logo classificado”, aponta.

Para o ala-esquerdo Marcão, o mais importante é continuar trabalhando para conquistar a preferência do treinador. “Lógico que tem que trabalhar bastante para ser a opção do Mário Sérgio. Quando estava jogando, estava dando o máximo, mas o Ivan entrou bem e continuo à disposição”, pondera.

O jogador diz que o Iraty teve méritos por ter feitos dois gols na Arena. “O Iraty marcou bem a nossa equipe, coisa que não acontecia nos outros jogos, onde nós marcávamos o adversário e não deixávamos eles jogarem. Nesse jogo, foi o contrário”, destaca.

Perigo

Jogando em terreno desconhecido, os jogadores deverão ter uma dificuldade a mais diante do Caçulinha. Dos jogadores relacionados para a partida, apenas Ígor já jogou no Xingu e deve passar todas as dicas para os companheiros. “O campo é grande e as laterais são largas, mas de uma extremidade à outra é meio curto. Então, as bolas aéreas vão ser fundamentais. A grama é dura, a bola quica muito e temos que ficar muito esperto”, diz o zagueiro, que amanhã terá a função de líbero.

O último jogo em casa

Para desespero do Malutrom, o jogo de amanhã, às 15h30, no Estádio do Pinhão tem cheiro de goleada. O time da casa só deu vexame nas últimas três rodadas e o Atlético, o visitante, tem a melhor campanha deste campeonato paranaense.

O Malutrom sofreu goleadas consecutivas, para Roma Apucarana (5 x 1), Iraty (4 x 1) e União Bandeirante (4 x 1). Após ter sido o terceiro colocado na fase anterior, a equipe de São José dos Pinhais ainda não saiu do zero ponto na segunda etapa do estadual.

O jogo de amanhã confronta o melhor ataque (Atlético, 26 gols) e a pior defesa (Malutrom, 24) do torneio. Nem um, nem outro acusam desfalques, sejam por lesão ou suspensão. A partida será a última do Malutrom este ano no Pinhão. O técnico Mauro Madureira deixou para hoje a confirmação da equipe titular. Desiludido com as últimas atuações da equipe, Madureira não poupa jogadores outrora titulares. “É o momento que vai escalar este ou outro jogador. Entra em campo quem está melhor agora”, diz. A preocupação do treinador é encerrar a participação da equipe no estadual o mais dignamente possível.

A provável equipe titular tem Rodrigão; Rafael, Leonardo, Ademir e Emerson; Anderson, Fábio, Juarez e Neto; Mikael e Altair.