O São Paulo ainda não sabe qual marca de uniforme vai usar contra o Cruzeiro, no Morumbi, dia 6, pela partida de ida das oitavas de final da Copa Libertadores. O clube vive um impasse com a Under Armour, nova fornecedora de material esportivo, pela partida ser na véspera da data estipulada para o lançamento oficial da camisa.

O contrato do São Paulo com a Penalty termina no fim de abril e logo no dia seguinte os jogadores já começam a usar o material da nova empresa nos treinos. Mas, como a apresentação da camisa será somente dias depois, existe a possibilidade de o time ter de jogar contra o Cruzeiro com um uniforme alternativo, sem a aparição de marca alguma.

A empresa americana trata a nova camisa com muito cuidado para não divulgar nada até o dia 7 de maio. Para esse dia a Under Armour prepara uma festa de apresentação, em evento no Morumbi. A data foi escolhida meses atrás para se adequar à agenda do presidente e fundador da companhia, Kevin Plank, que virá dos Estados Unidos em avião particular somente para o lançamento.

A empresa considera o São Paulo um parceiro importante na ação para ampliar negócios no Brasil. O contrato de cinco anos vai render ao clube R$ 135 milhões, além da visibilidade de ter as camisas à venda em lojas no exterior.

Na semana passada o São Paulo iniciou a pré-venda da camisa para a torcida pela internet, mas divulgou apenas imagens de alguns detalhes do uniforme, como o escudo. Quem efetua a compra recebe o aviso que o material só será postado no correio no dia seguinte à apresentação.