A Justiça do Trabalho intimou o Santos a apresentar justificativas sobre os salários devidos ao atacante Leandro Damião, que está emprestado ao Cruzeiro, e ao volante Arouca. A 4ª Vara de Santos emitiu um mandado pedindo ao clube que se manifeste sobre a ação dos atletas, que buscam a rescisão contratual por não terem recebido os pagamentos entre outubro e dezembro, além do 13º e bonificações.

A diretoria santista tem 72 horas, a partir desta quinta-feira, para apresentar sua versão. O Santos quitou os salários de outubro e novembro na terça-feira, mas ainda restam o 13º salário e o ordenado de dezembro.

A decisão não indica indeferimento da liminar dos atletas, apenas que o juiz pretende ter em mãos as justificativas do empregador para tomar uma decisão. Damião e Arouca foram dois dos atletas que procuraram os tribunais para tentar se desvincular do clube. Os outros foram Aranha (liminar negada, mas cabe recurso), Matheus Índio e Renê Junior, ambos em 2014.

Na quarta-feira, o juiz Francisco Charles Florentino de Souza, da 5ª Vara do Trabalho em Santos, concedeu liminar ao lateral chileno Mena e encerrou o vínculo do jogador com o clube, que pretende recorrer ainda nesta quinta.

Além de correr o risco de não lucrar com a saída dos jogadores nos tribunais, o Santos pode ter de pagar o valor integral do contrato deles. Damião tem vínculo até o fim de 2018, enquanto o de Arouca vai até dezembro do ano que vem.