A rainha Elizabeth II e seu marido, o príncipe Philip de Edimburgo, vão presidir a cerimônia de abertura dos Jogos Paralímpicos de Londres 2012 no próximo dia 29 de agosto no estádio de Stratford.

A soberana será a encarregada de inaugurar pela primeira vez os Jogos Paralímpicos acompanhada de seu marido, que na semana passada esteve hospitalizado cinco dias por conta de uma infecção na bexiga.

Elizabeth II encerra assim os meses de grande atividade pública, que começaram com a celebração de seu Jubileu de Diamante pelos 60 anos no trono e prosseguiram com a abertura dos Jogos Olímpicos, em que protagonizou um salto virtual de pára-quedas no estádio de Stratford junto com o ator Daniel Craig, atual intérprete de James Bond.

A cerimônia de abertura dos Paralímpicos, intitulada “Enlightenment” (“Ilustração”), acontece na próxima quarta-feira às 16h30 (de Brasília) com um espetáculo aéreo do grupo Aerobility, uma organização beneficente do Reino Unido que treina deficientes para serem pilotos.

Se a abertura dos Jogos Olímpicos foi um louvor ao universo britânico e o encerramento uma ode à riqueza musical inglesa, os protagonistas desta cerimônia – dirigida por Jenny Sealey e Bradley Hemmings – serão as pessoas incapacitadas.

Com cerca de três mil voluntários, entre os quais antigos atletas paralímpicos, soldados feridos e crianças de diferentes bairros do leste de Londres, onde se concentram a maioria das instalações olímpicas, o ato será “uma celebração espetacular do espírito inspirador destes Jogos”, segundo os organizadores.

A cerimônia, para a qual restam entradas a preços entre 250 e 350 libras (entre R$ 800 e R$ 1,1 mil), prosseguirá com um espetáculo circense protagonizado por 50 artistas, alguns deles profissionais, mas a maioria será de militares em reabilitação e atletas que se prepararam durante dois meses para o evento.

Os diretores, que prometeram um espetáculo “profundamente humano”, preferem guardar as surpresas para a noite da cerimônia, mas alguns veículos da imprensa britânica especularam a participação do físico inglês Stephen Hawking.

Enquanto são finalizados os preparativos para a cerimônia e a adaptação do Parque Olímpico e das instalações esportivas para o evento paralímpico, quatro tochas viajam ao longo do Reino Unido transmitindo o espírito de superação deste evento à sociedade britânica.

Cada uma das chamas olímpicas foi acesa ontem nos pontos mais altos das quatro nações do país – Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte – de onde iniciaram um percurso pelas principais cidades para se unirem, no próximo dia 28 de agosto, em uma única chama em Stoke Mandeville, o berço do movimento paralímpico.

Dali fará uma viagem de 24 horas até a capital britânica, onde vai passar por alguns pontos turísticos como a Abbey Road, o Picadilly Circus e a Tower Bridge de Londres antes de chegar ao estádio de Stratford durante a cerimônia de abertura.

Uma vez acesa, a chama iluminará a capital britânica até o dia 9 de setembro, quando termina a terceira experiência olímpica de Londres em sua história.