A saída do lateral-direito Cristovam para o futebol sul-coreano abriu mais uma posição carente do Paraná Clube para o início da temporada de 2018. O técnico Wagner Lopes, confirmado no comando do Tricolor, terá, para o início do trabalho, na próxima terça-feira, os mesmos laterais que tinha à sua disposição no começo de 2017, quando teve a sua primeira passagem pelo time paranista.

Para iniciar os trabalhos da pré-temporada, o treinador conta apenas com o lateral-direito Júnior, que não fez uma boa temporada, e com o lateral-esquerdo Igor, que até conseguiu ser regular durante o ano, mas terminou em baixa e na reserva do improvisado zagueiro Rayan. Além deles, o jovem Gabriel Pires, promovido das categorias de base, também é opção.

Assim, a diretoria do Paraná Clube terá que correr contra o tempo para dar mais opções ao comandante para as duas laterais. Nos bastidores, o executivo de futebol Rodrigo Pastana já se movimenta para reforçar as laterais, principalmente pelo lado direito. Cristovam fez uma boa Série B e era titular absoluto. No entanto, os valores mais altos do futebol da Coreia do Sul fizeram o camisa 2 deixar o clube e, por isso, o dirigente está atento ao mercado para reforçar a ala direita da equipe.

O Tricolor, no entanto, está encontrando dificuldades no mercado, que está ‘estranho’ nas palavras de Pastana. O Paraná Clube, mesmo tendo uma receita maior, está trabalhando com os pés no chão e sem fazer loucuras. Por isso, não deve mudar ser perfil de contratações em relação à última temporada.

O nome preferido é o do lateral-direito Alemão, de 27 anos, que disputou a Série B pelo Internacional. O jogador não conseguiu uma sequência no Colorado e pode ser emprestado ao time paranista. Isto porque também não terá espaço na equipe de Porto Alegre, já que o titular da posição é Claudio Winck e Ruan, ex-Boa Esporte, já foi contratado.

Alemão, caso acerte, chegará com a mesma característica de outros reforços já contratados. São jogadores que não têm um salário alto, não vão comprometer o caixa paranista e terão a oportunidade de aparecer no cenário do futebol brasileiro vestindo as cores do clube.

A diretoria, no entanto, sabe também que a exigência em 2018 será maior. Além do Campeonato Paranaense e da Copa do Brasil, o Tricolor terá novamente pela frente a disputa da primeira divisão com o objetivo maior de permanecer na elite neste retorno.