O Paraná Clube segue sem pontuar no Campeonato Brasileiro depois de três rodadas. O técnico Rogério Micale admitiu que esse desempenho ruim no começo da competição nacional preocupa, mas acredita que não deve haver uma pressão exagerada sobre o time paranista. A derrota para o Sport por 2×1, neste domingo, na Vila Capanema, evidenciou algumas fragilidades do elenco tricolor, especialmente do setor ofensivo, já que voltou a desperdiçar algumas oportunidades e que acabaram fazendo a diferença no resultado final do jogo.

“É motivo de preocupação e é muito cedo para fazer uma pressão exagerada nos jogadores. Nós sabíamos que teríamos dificuldades, que iríamos sofrer um pouco. Se a bola entra primeiro no nosso lado, o jogo poderia ser outro. A gente tem que manter a competitividade e ser equilibrado, evitar sofrer gol para não gerar toda essa pressão que vai se criando pelos resultados. Gera um nervosismo, as coisas acabam em uma ansiedade. É continuar trabalhando para que as coisas mudem”, explicou Micale.

O treinador acredita que a ansiedade e a falta de experiência estão fazendo a diferença neste início de caminhada do Paraná no Campeonato Brasileiro. Por isso, é fundamental que o Tricolor, nos próximos jogos, consiga fazer um gol antes que o adversário e, assim, ter o fator emocional a seu favor.

“Essa ansiedade vai crescendo. Um toquezinho que tem que ser mais leve, sem aquela força desproporcional, ou ao contrário. Saber o time de fazer essa situação. É uma equipe jovem. Com essa rodagem que estão adquirindo, a gente acredita que precisa sair um jogo na frente para saber qual será a reação. A expectativa é que, dentro desse processo, a gente possa se equilibrar e começar a pontuar”, emendou.

O treinador paranista salientou que, diante do Sport, o fator positivo ficou por conta do primeiro gol marcado neste Brasileirão. “O gol serve para tirar a ansiedade de uma cobrança que estamos tendo por não ter pontuado no início da competição. Eu acredito que tiramos um peso de não marcar, mas agora tem que tentar se equilibrar. O que me assegura que coisas boas estão acontecendo são as estatísticas e o fato de estarmos conseguindo jogar. Estamos em um processo”, arrematou Micale.