Mesmo que a diretoria do Paraná não tenha se pronunciado oficialmente sobre a parceria com a empresa TSI, da Rússia, a aprovação da proposta por parte do Conselho Deliberativo do clube, na última terça-feira (18), já movimenta os bastidores do Tricolor. Enquanto o executivo de futebol Alex Brasil pede paciência aos torcedores sobre o assunto, a expectativa por parte dos jogadores e do técnico Allan Aal é que o aporte financeiro contribua diretamente no desempenho em campo da equipe, que vai brigar pelo acesso à Série A.

Em entrevista coletiva realizada nesta quinta-feira (20), no Ninho da Gralha, Alex Brasil tentou acalmar os ânimos de quem está ansioso por notícias sobre a negociação com os russos. O mandatário disse que não participou das conversas e que, por isso, não sabe detalhes.

+ Saiba como assistir aos jogos do Paranaense pelo celular, computador ou Smart TV

“Sei da ansiedade de todos por informações, porém, são processos que vem sendo desenvolvidos há um bom tempo, desde dezembro. No momento certo, o presidente e as pessoas envolvidas vão explicar como vai funcionar tudo isso”, disparou.

Alex Brasil deve ter a companhia de Felipe Ximenes nos próximos dias. Foto: Albari Rosa/Foto Digital/Tribuna do Paraná.

Conforme a proposta homologada na Justiça do Trabalho, na última quarta-feira (19), a proposta de parceria terá a duração de três anos. Os valores, não divulgados de forma oficial, devem ser de R$ 2,8 milhões em 2020 e nos dois anos seguintes 1,2 milhões de euros (R$ 5,6 milhões) em 2021 e 2,4 milhões de euros (R$ 11,2 milhões) em 2022.

+ CONFIRA A TABELA E A CLASSIFICAÇÃO DO CAMPEONATO PARANAENSE!

O documento aprovado pela Justiça do Trabalho também fala que a proposta “tem como objetivo a subida do Paraná Clube para a Série A do Campeonato Brasileiro”. Por isso, o técnico Allan Aal tem grandes expectativas para a equipe na temporada.

“A gente espera que seja muito positiva para o Paraná em geral. Que as coisas possam acontecer fora de campo para dar uma tranquilidade dentro de campo. Esperamos que a parceria não seja algo de momento, mas que a longo prazo para que os resultados possam fortalecer a história do Paraná”, afirmou.

O goleiro Marcos também vê inúmeros benefícios com o acordo firmado e, brincando, disse que se necessário pode até aprender a língua dos investidores. “Russo ainda não, mas a gente pode ir aprimorando. A gente fica feliz que se concretizou a parceria e tenho certeza que chegará para somar. Acredito que vamos colher bons frutos”, concluiu.

+ Mais do Tricolor:

+ Sem Alisson, lesionado, Paraná contrata goleiro do Corinthians
+ Parceria entre Paraná e russos é aprovada pela Justiça do Trabalho
+ Ex-Cruzeiro ganha espaço no Paraná e briga pra colocar equipe no topo