O ano era 1997. A Vila Olímpica do Boqueirão estava tomada pelos torcedores paranistas. Um empate garantia o título de pentacampeão paranaense. Foi uma festa. Eu estava com sete anos. Me lembro que meu ‘coroa’ fazia o possível para que eu conseguisse acompanhar meus ídolos junto ao alambrado.

Naquele ano, o Paraná Clube havia trazido um ‘garoto de Cascavel’ chamado Luiz Carlos Saroli, mais conhecido como Caio Júnior. Ele já não era tão garoto assim, mas possuía um faro de gol que poucos tinham.

Naquele jogo contra o União Bandeirante, Caio Júnior acabou com a partida. Foram dois gols na vitória por 3 a 0. Ele saiu de campo aplaudidíssimo. Foi um monstro que havia garantido o pentacampeonato estadual para o Tricolor da Vila.

Foto: Arquivo.
Foto: Arquivo.

Ele não iria parar por aí. Três anos depois, ele pendurou as chuteiras e foi comandar o Paraná direto do banco de reservas. Começava ali um outro lado de Caio, que iria surpreender a muitos no futebol. Após passagens pelo interior do estado e com algumas façanhas em seu currículo, como quando comandava o Cianorte – que goleou o Corinthians pela Copa do Brasil -, ele retornou ao Tricolor com mais maturidade, em 2006, para colocar o seu nome de vez na história do Paraná Clube.

Caio Júnior levou a nossa torcida, que não aguentava mais sofrimentos e desilusões, para a alegria extrema, ao colocar o time na quinta colocação do Campeonato Brasileiro da Série A e garantir uma vaga na Libertadores de 2007.

Hoje, 29 de novembro de 2016, o mundo acordou em choque com a queda do avião em que a delegação da Chapecoense estava na Colômbia. O mundo todo está de luto. Mas, nós, paranaenses e paranistas, principalmente, jamais iremos esquecer de tudo que Luiz Carlos Saroli, o Caio Júnior, fez com as cores vermelha, azul e branca. Obrigado por tudo. Descanse em paz!

A RPC TV fez uma homenagem ao treinador paranaense. Confira abaixo:

Vídeo: Paraná 0x0 São Paulo – Conquista da vaga para a Libertadores: