Um mês do técnico Lisca. Um mês de um time mais vibrante. Um mês da arrancada do Paraná Clube da parte debaixo da classificação da Série B do Campeonato Brasileiro para ser um dos postulantes ao acesso à primeira divisão da próxima temporada. É assim que o comandante completa 30 dias a frente do time paranista. Com mais um confronto direto pelo G-4 da Segundona, diante do Juventude, sexta-feira (25), às 20h30, na Vila Capanema, o Tricolor espera colar de vez no pelotão de frente e seguir sonhando em sair da fila de espera que já dura dez anos.

O treinador, em alguns momentos mais emoção do que razão, ganhou, em pouco tempo, a confiança do elenco e simpatia do torcedor do Paraná Clube. Os resultados estão aparecendo. Nestes primeiros 30 dias a frente do time paranista, o técnico Lisca comandou o Tricolor em seis jogos. Conseguiu três vitórias, empatou duas vezes e perdeu uma, com aproveitamento de 61%. Este é o rendimento atual do Internacional, que está na vice-liderança da Série B do Brasileirão.

“A gente tem percebido que o Lisca é um cara muito do bem, muito emocional. Tudo o que fala, fala de coração, para ajudar a gente. Isso com a relação do dia a dia, com as coisas que ele faz, de ir embora com o torcedor (Lisca pegou carona após a vitória sobre o ABC), é tudo na emoção, no calor do jogo, no pós jogo. Ele gosta e a gente aprendeu que a emoção é importante. Vivenciar cada coisa com intensidade. Isso tem nos ajudado bastante e isso só tem acrescentado ao nosso grupo”, garantiu o goleiro Richard.

O zagueiro Maidana admitiu que tem sonhado em conquistar o acesso com o Paraná Clube. O defensor destacou o grupo diferenciado que o Tricolor tem em mãos e muito graças ao trabalho do técnico Lisca. Esse lado mais emotivo e intenso do comandante paranista tem feito a diferença a favor do Paraná nos últimos jogos.

“Tenho total confiança que vamos subir. Nunca vivi isso, de ter um grupo tão bom assim trabalhando. O Lisca é um cara que motiva os jogadores de uma forma incrível. Ele tem raça, personalidade, que grita e isso motiva e contagia o grupo todo. Isso é muito. Todos se contagiam com esse sentimento dele. No jogo em Belém nos fechamos e falamos que se subir (para a Série A) vamos fazer história no Paraná. O clube está há dez anos na Série B. Sonho todo dia com isso, antes de dormir, se eu subir o Paraná, vai todo mundo ficar um pouco marcado na história e isso não tem preço”, contou Maidana.

O defensor paranista, sem muitas oportunidades com ex-técnico do Paraná, Cristian de Souza, tornou-se titular absoluto depois da chegada do técnico Lisca ao clube. Maidana frisou ainda a forma diferenciada do comandante em trabalhar e preparar a equipe emocionalmente para as partidas na caminhada dentro da Série B do Campeonato Brasileiro.

Confira a tabela completa da Série B!

“É um cara que se cobra muito. Ele faltou que quer tirar essa fama que tem de doido, mas ele é um cara que, se continuar assim, com certeza vai fazer história junto com a gente aqui. É um cara que, na preleção, é sensacional. No jogo contra o Paysandu, ele colocou um vídeo da torcida do Paraná do dia dos pais que todo mundo ficou emocionado. Ele tem a parte que trabalha com o coração, isso é importante, essa maneira de motivar o grupo. Por isso que a gente vai longe no campeonato e subir para a Série A”, arrematou o camisa 3 do Tricolor.

É com esse espírito que o Paraná entra em campo diante do Juventude, na Vila Capanema, sexta-feira, às 20h30. Na sétima colocação com 31 pontos, o Tricolor, mesmo que vença os gaúchos, ainda não entra no G-4, já que o Ceará, que tem 34, tem duas vitórias a mais que o time paranista.