O atacante Judivan precisou de um toque na bola para conseguir, aos 47 segundos de partida, dar a vitória importante ao Paraná Clube diante do Brasil de Pelotas, na última terça-feira (15), na Vila Capanema. Para muitos um gol normal, mas para o centroavante uma noite para ser lembrada para sempre, já que o jogador, depois de um início de carreira promissor nas categorias de base do Cruzeiro, sofreu com muitas lesões e precisou batalhar muito para voltar aos gramados.

“Foi um dia especial. Estou muito feliz e queria agradecer a minha família, meu empresário e a Deus. Ainda mais satisfeito de ter ajudado o grupo a sair vitorioso. Um gol logo no começo muda totalmente o jogo e faz com que a equipe visitante, que vem com o propósito para se defender, saia mais para o jogo”, afirmou ele.

Judivan foi considerado uma das grandes apostas do Cruzeiro. Rapidamente alcançou convocações para as seleções de base. Foi quando acabou mudando o rumo da sua carreira. Em 2015, no Campeonato Mundial sub-20, o atacante sofreu uma lesão grave no joelho, ficou afastado dos gramados por dois anos e precisou passar por nada menos do que seis cirurgias.

Precisou, então, recomeçar. Ainda com contrato com a Raposa e emprestado ao Tricolor, o atleta antes teve passagens sem destaque por América-MG e CSA em 2018. Neste ano, conseguiu ter um bom desempenho pelo Tombense na disputa da Série C, quando marcou cinco gols em 17 partidas.

+ Confira a classificação completa da Série B!

O atacante ganhou a titularidade no Paraná nas últimas partidas, mas vinha atuando mais pelos lados do campo. Com a suspensão do atacante Jenison, o técnico Matheus Costa o escalou como o principal homem de frente diante do Brasil de Pelotas e a estratégia deu certo. “É uma posição que eu vinha jogando e, hoje, pude substituir o Jenison à altura, ajudando com gol. Foi uma noite feliz e estou bem contente com isso”, concluiu.

Leia mais:

+ Apesar da tensão no fim, Matheus Costa aprova atuação do Tricolor
+ Após vitória no sufoco, Paraná espera embalar na Série B