Foi de forma inacreditável que o Paraná Clube deixou escapar pelos dedos a vitória que se desenhava diante da Ponte Preta, na noite de quarta-feira (25). O jogo se encaminhava a favor do Tricolor, mas o empate em 1×1, alcançado nos segundos finais pela Macaca, foi um banho de água fria no time paranista, que já soma sete jogos sem vencer na Vila Capanema.

O elenco destacou o volume de jogo criado, mas lamentou o fato de não ter matado a partida e evitado o pior. O meia Vitinho, que pela primeira vez atuou no Durival Britto desde que chegou, lamentou muito o resultado.

“Precisávamos tanto dessa vitória, fizemos uma grande partida, tivemos chances de ampliar. É uma coisa que deixa a gente desanimado, não tem o que fazer, mas temos que buscar o resultado fora, já que não vem em casa”, disse ele, se referindo ao compromisso contra o Oeste, que acontece no sábado (28), em Barueri.

+ Leia também: Matheus Costa tem respaldo da diretoria, apesar da chiadeira da torcida

O zagueiro Leandro Almeida foi mais um que saiu cabisbaixo após o empate. Valorizando o jogo apresentando pelo grupo, o defensor destacou que faltou pouco para o Paraná ter saído com os três pontos.

“É complicado até falar. O Matheus (Costa, técnico) tem trabalhado muito com a gente, entendemos a cobrança, mas o torcedor precisa ter paciência, porque estamos criando muitas chances, mas por detalhes não saímos vitoriosos”, disse.

O lateral-direito Éder Sciola, que fez a assistência para o gol de Jenison, foi outro que pontuou o fato de o Tricolor ter tido grande volume de jogo. Além disso, ele defendeu o trabalho do treinador, que segue com total confiança da diretoria.

+ Confira a classificação completa da Série B!

“Tivemos inúmeras oportunidades, mas só fizemos um gol, agora é levantar a cabeça. O Matheus é o menos culpado, porque ele não entra em campo. Agora é continuar trabalhando, porque temos um jogo difícil fora de casa”, arrematou.