Apesar de ainda não ter se manifestado oficialmente, o Paraná Clube demitiu o técnico Lisca na manhã deste sábado (2) por conta de uma briga. Uma confusão que já se iniciou na sexta-feira (1), quando a delegação paranista desembarcou em Curitiba após voltar de Cariacica, onde eliminou o Flamengo, na Primeira Liga.

Lisca queria comandar um treinamento na capital paranaense antes de viajar para Belo Horizonte, mas, para evitar um desgaste físico, em meio à sequência de jogos e viagens, a comissão técnica optou pelo descanso. Já em solo mineiro, o então treinador não gostou de alguns atletas estarem na piscina do hotel e se desentendeu com membros da comissão, chegando às vias de fato com o auxiliar-técnico Matheus Costa e o preparador físico Rodrigo Rezende.

A atitude foi a gota d’água para a diretoria. Ao saber do assunto, em uma reunião com todos os envolvidos, o presidente Leonardo Oliveira teria chego já com a passagem de volta para Curitiba na mão e a entregou para Lisca, o demitindo imediatamente.

Um áudio de um membro da comissão paranista explicando toda a briga vazou no Whatsapp e vão de encontro com todas as informações reveladas até aqui. Lisca, porém, afirmou que só vai se pronunciar após o clube dar a sua versão, mas garantiu que foi demitido.

Uma confusão que certamente vai interferir no desempenho do Tricolor no duelo desta sábado (2), às 19h, diante do Atlético-MG, no Independência, valendo a vaga na final da Primeira Liga.

Lisca conseguiu, em pouco tempo, transformar o ambiente no Paraná Clube. Tirou o time da parte debaixo da classificação da Série B, inclusive com a ameaça de rebaixamento, para ser um dos postulantes ao acesso à primeira divisão de 2018. Os jogadores paranistas nunca esconderam a admiração pelo treinador, mas, na briga, boa parte do elenco ficou do lado do auxiliar Matheus Costa, que é quem vai comandar o time contra o Galo.

A tendência, inclusive, é que ele siga no cargo até segunda ordem. Por ter um bom relacionamento com o grupo e já conhecer as peças que tem à disposição, a diretoria deve optar pela manutenção do membro da comissão do clube.

Em relação à equipe que irá a campo, na manhã de sexta-feira Lisca havia dito que ainda tinha dúvidas sobre poupar alguns jogadores ou não para o confronto com o Atlético-MG. Com a mudança de técnico, o Paraná Clube deve ter força máxima.

Lisca foi o terceiro técnico do Tricolor em 2017 e durou pouco mais de um mês no comando. Antes, já haviam passado pela função Wagner Lopes e Cristian de Souza. Neste tempo em que esteve a frente do time paranista, o técnico, em sete jogos pela Série B, conseguiu quatro vitórias, dois empates e uma derrota, com 66% de aproveitamento, com 13 gols marcados e apenas quatro sofridos. Conseguiu, com o empate em 1×1 diante do Flamengo, classificar o Tricolor nas penalidades à semifinal da Primeira Liga.

FICHA TÉCNICA

PRIMEIRA LIGA
Semifinal – Jogo único

Atlético-MG x Paraná Clube

Atlético-MG
Victor; Marcos Rocha, Gabriel, Leonardo Silva e Fábio Santos; Adílson, Elias, Luan, Robinho e Valdívia; Rafael Moura (Fred).
Técnico: Rogério Micale

Paraná
Richard; Júnior, Wallace (Iago Maidana), Rayan e Assis; Leandro Vilela, Gabriel Dias, Murilo, Vinícius Kiss e João Pedro (Rafhael Lucas); Felipe Augusto.
Técnico: Matheus Costa

Local: Independência (Belo Horizonte-MG)
Horário: 19h
Árbitro: Luís César de Oliveira Magalhães (CE)
Assistentes: Helton Nunes (SC) e Renan Aguiar da Costa (CE)