O Paraná Clube busca hoje às 21h, em Arapiraca a reabilitação e o fim da “síndrome do pijama”. Frente ao ASA, o time de Ricardinho luta para voltar a vencer fora de casa, algo que não ocorre desde a 6.ª rodada, considerando-se apenas os jogos da Série B. São mais de dois meses sem um triunfo na condição de visitante. Um quadro que coloca em xeque o futuro do Tricolor na competição, vendo o G4 mais distante a cada rodada. O técnico promete uma nova postura diante do time alagoano.

Isso não representa, necessariamente, troca de peças. “Não gostaria de mudar, mas, se os resultados não estão vindo, tenho que fazer algo”, disse Ricardinho, logo após a traumática derrota para o Ipatinga. Adepto do futebol ofensivo, o treinador idealiza uma equipe capaz de produzir o mesmo futebol, independente do local da partida. Só que a forma como o Paraná vem perdendo pontos longe de sua torcida o obriga a rever conceitos. Na prática, é possível imaginar um time ao menos mais “atento” na marcação.

“Não podemos levar gols bobos. É preciso acertar essa marcação”, avisa Ricardinho, que deu ênfase a esse fundamento nos treinos realizados em Maceió. No sistema defensivo, o Paraná poderá ter duas novidades, hoje. Uma mudança é certa: Angelo entra na lateral-direita, na vaga do suspenso Paulo Henrique. O treinador poderá ainda promover o retorno de Alex Alves à zaga. Recuperado de uma lesão no joelho (sofrida diante do ABC), ele treinou normalmente nos últimos dias e deve reassumir a posição, com a consequente saída de Amarildo.

Outro jogador que se recuperou bem foi o atacante Arthur, que sofrera uma lesão de tornozelo em Ipatinga. Sob tratamento intensivo, ele foi liberado para o trabalho de ontem à tarde, no CT do Corinthians Alagoano. Já o setor de meio-campo segue indefinido. Somente ontem à noite, o STJD concedeu efeito suspensivo à punição de Fernandinho. Assim, o ala (e agora meia) poderá seguir na equipe, enquanto aguarda novo julgamento no pleno do tribunal. “Recebi a notificação e só espero o despacho por escrito”, disse o advogado Itamar Côrtes, ontem, por volta das 20h30.

Mesmo com a liberação, a presença de Fernandinho será decidida por Ricardinho. Na busca por uma equipe mais coesa, ele não descarta a volta de Ricardo Conceição à condição de titular. “Temos que vencer. Não importa tanto a escalação, mas sim a postura do time. Não podemos ter menos vontade que o adversário. É preciso pelo menos igualar nesse ponto para que a qualidade técnica possa fazer a diferença”, concluiu Conceição, de olho numa vaga no time. Vencer é fundamental para encurtar a distância para o G4, que hoje é de oito pontos.

Pressão

Mesmo vindo de derrota, o técnico Nedo Xavier optou pela manutenção da equipe que fez, segundo sua avaliação, um bom jogo diante do Atlético-PR. À beira da zona do rebaixamento, o time alagoano joga suas fichas no desempenho em casa para escapar da degola e reagir na competição. “Frente ao Atlético, nos faltou mais ofensividade. Isso não irá acontecer jogando no nosso estádio”, disse Nedo Xavier, prometendo partir para cima do Paraná e aproveitar o momento de instabilidade do adversário. Na busca pela vitória, o ASA conta com o artilheiro Lúcio Maranhão, que já balançou as redes 29 vezes na temporada. Durante a semana, a diretoria do clube alagoano renovou o contrato do atleta, evitando assim o assédio de empresários, que pretendiam levá-lo para o futebol europeu.