Em busca de um estádio para jogar a partida contra o Santos, pelo duelo de ida das oitavas de final da Libertadores, no dia 5 de julho, o Atlético ainda não procurou o Paraná Clube para alugar a Vila Capanema. Pelo menos é o que garante o presidente paranista, Leonardo Oliveira.

“Tem várias mensagens no meu celular de pessoas perguntando sobre isso, mas não tem nada”, declarou o dirigente, à reportagem. O presidente, porém, disse que se for procurado, está disposto a negociar o empréstimo.

“Emprestar, não. Somente se houver alguma negociação e se for interessante comercialmente para o Paraná. Acho que não adianta ficarmos comentando sobre possibilidades”, completou, em entrevista à Banda B. O problema, então, se daria na capacidade do estádio.

De acordo com o regulamento da Conmebol, o local do duelo mata-mata deve ter capacidade para, no mínimo, 20.000 torcedores. De acordo com a Federação Paranaense de Futebol (FPF), que apresenta os laudos mais recentes por ter sido realizada vistoria para o Paranaense, a Vila Capanema pode receber 14.660 pessoas. Já o site oficial do Paraná informa que a capacidade é de 17 mil espectadores. Por fim, segundo o site oficial da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a Vila comporta 20.083 pessoas em uma partida de futebol.

Em 2007, quando esteve na Libertadores, o Tricolor conseguiu mandar seu jogo nas oitavas de final, contra o Libertad, no próprio estádio. Na época, a Conmebol esteve na Vila para vistoriar o local e confirmou que caberiam 20.083 pessoas no estádio.

O Atlético não poderá jogar na Arena da Baixada contra o Santos, por ter cedido o estádio para a disputa da fase final da Liga Mundial de Vôlei, entre dia 24 de junho e 11 de julho. Dessa forma, a cúpula atleticana está trabalhando para solucionar o problema. A primeira opção era o Couto Pereira, mas o presidente Rogério Bacellar já se manifestou e garantiu que o Coritiba não emprestará o Couto Pereira para a realização da partida porque o gramado deverá estar sendo trocado.