Foto: Jefferson Bernardes/Vipcomm

Beto teve muito trabalho no meio pra marcar o atacante Iarley.

O ?bônus? acabou não vindo. Com um péssimo primeiro tempo, em que foi presa fácil do campeão da América, o Paraná Clube perdeu ontem para o Internacional por 3×2, no Beira-Rio. O resultado deixa o Colorado na terceira colocação do Campeonato Brasileiro (ainda sonhando com o título) e faz com que o Tricolor fique com todas as suas atenções voltadas para a última vaga brasileira para a competição continental de 2007.

A notícia ruim para os paranistas veio antes do jogo -Fernandão, que era dúvida por conta de uma lesão, foi confirmado. Assim, os dois times iam para a ?decisão? com seus titulares. ?Não precisamos criar motivação.

É um jogo que vale o terceiro lugar?, resumiu o técnico tricolor Caio Júnior.

Os colorados confiavam na sua equipe, mas demonstravam muito respeito pelos visitantes.

Em campo, o capitão do Inter parecia ter entrado em campo para fazer seu time repetir as atuações históricas da final da Libertadores.

O Paraná não teve tempo para pensar – foi alvo de uma pressão assustadora, vinda de dentro e de fora do gramado (era ótimo o público no Beira-Rio). Logo a nove minutos, Índio tabelou com Fernandão, apareceu na cara de Flávio e abriu o placar.

O sistema de marcação do Tricolor sucumbiu antes mesmo que se imaginasse alguma reação. Os visitantes só passaram do meio-campo aos 11 minutos, enquanto a cada instante o Inter aparecia na cara do Pantera. Além de não acertar o meio-campo, o Paraná deixava Fernandão, Iarley e Adriano soltos, sem contar com a presença efetiva do lateral Hidalgo na frente -era mais um atacante que um defensor.

Com tanto espaço, era inevitável a ampliação da vantagem. E veio após um milagre de Flávio, quando Fernandão entrou de novo livre na área. No escanteio, o goleiro tricolor errou, e Fabiano Eller, sem querer, marcou o segundo. Caio Júnior tentou arrumar o time com a entrada de Pierre, mas antes mesmo que o volante fosse para o jogo, Eller fez mais um e deixou o jogo praticamente resolvido. ?Erramos no início, deixamos o adversário jogar e levamos dois gols no começo?, reclamou o treinador no intervalo.

O Paraná voltou com Joelson no lugar de Edinho e armado em um 4-4-2 ofensivo. E foi mais presente no ataque – até porque o Internacional nitidamente diminuiu seu ímpeto. Leonardo e Peter tiveram chances de marcar, mas Renan (que substituiu Clemer, lesionado) teve boas intervenções. O melhor rendimento foi premiado com o gol de Cristiano, aos 31 minutos, e com o de Sandro, aos 43. Ficou a sensação de que, se não fosse o primeiro tempo lamentável, o resultado poderia ser bem diferente.

CAMPEONATO BRASILEIRO

INTERNACIONAL 3×2 PARANÁ CLUBE

Internacional

Clemer (Renan); Ceará, Índio, Fabiano Eller e Hidalgo; Edinho, Wellington Monteiro, Perdigão e Adriano (Caio); Iarley (Renteria) e Fernandão.

Técnico: Abel Braga

Paraná

Flávio; Gustavo, Émerson e Neguete (Pierre); Peter, Beto, Batista, Sandro e Edinho (Joelson); Cristiano e Leonardo (Maicosuel).

Técnico: Caio Júnior

Súmula

Local: Beira-Rio (Porto Alegre-RS)

Árbitro: Alício Pena Júnior (FIFA-MG)

Assistentes: Guilherme Dias Camilo (MG) e Márcio Eustáquio Santiago (MG)

Gols: Índio 9 e Fabiano Eller 22 e 31 do 1º; Cristiano 32 e Sandro 44 do 2º

Cartões amarelos: Edinho, Perdigão (INT); Neguete, Emerson (PR)

Renda: R$ 173.032,00

Público: 24.378 (20.370 pagantes)