O Paraná Clube tenta deixar de lado a tensão por conta dos atrasos salariais e o clima de incerteza quanto ao futuro. A meta é entrar em campo hoje às 21h, no Durival Britto , frente ao Fortaleza, e fechar a sua participação na Série B deste ano com uma sequência invicta de dez jogos.

“A última imagem é sempre importante e não podemos perder o pique daquilo que foi realizado nessas últimas partidas”, frisa o técnico Roberto Cavalo, que a exemplo de boa parte do grupo ainda não definiu se ficará ou não no clube para 2010.

O treinador não contará hoje com três titulares, sendo dois deles responsáveis diretos pela guinada do Tricolor na temporada. O goleiro Zé Carlos, suspenso, e o meia-atacante Rafinha, não participam deste derradeiro jogo da equipe em 2009.

Um ano marcado por altos e baixos, muitas mudanças no grupo e na comissão técnica. O resultado prático disso tudo está na tabela de classificação, com o Paraná mais uma vez marcando passo na Segundona.

Diferente, porém, do ano passado, desta vez o clube pode fechar o ano mais perto do G4, apresentando uma base que, se mantida, poderá dar frutos no ano que vem.

Pelo menos esse é o desejo de Roberto Cavalo, que espera definir o quanto antes a renovação do seu contrato e receber da diretoria, além de uma valorização substancial, a certeza que boa parte dos jogadores deste elenco seguirá no clube.

“Sei que eles estão trabalhando nesse sentido. A partir da próxima semana, quem sabe tenhamos novidades”, disse Cavalo, esperançoso de notícias positivas a partir da posse da nova diretoria, programada para o próximo dia 2 de dezembro (quarta-feira que vem).

Sem Zé Carlos, o treinador confirmou Luís Carlos na meta. Terceira opção, o jogador de 22 anos terá sua primeira chance como titular no time de Cavalo. Isso porque Ney está fora dos planos para o ano que vem e Thiago Rodrigues se recupera de lesão.

“É um bom garoto. Já o vi treinando e agora vai ter a chance”, disse Cavalo, que foi obrigado a chamar o garoto Matheus para compor o banco. A ausência de Rafinha, que hoje passa por cirurgia para correção de desvio de septo, será suprida pela entrada de outro menino da base: Bruninho atuará no meio-de-campo, com Davi sendo adiantado para o ataque.

Na lateral-esquerda, diante da ausência de Fabinho, suspenso, Cavalo escala Márcio Goiano, que chegou a ser titular da equipe em uma sequência de nove jogos, com Sérgio Soares e o próprio Cavalo.

“A primeira e a última impressão, dizem, são importantes. Então, vamos lá, fechar com essa série invicta a nossa participação nesta Série B”, sentenciou Cavalo. O treinador, se obtiver êxito, escreve seu nome em um seleto grupo de treinadores que conseguiram, no Paraná, atingir (ou superar) essa marca.