As equipes de Manchester dominam o Campeonato Inglês nesta temporada e são as principais candidatas ao título. O City lidera a tabela com 22 pontos, enquanto United vem logo atrás, com 20. Por isso, os dois lados sabem da importância de uma vitória no clássico que acontecerá neste domingo, no Old Trafford, pela nona rodada da competição.

“Este jogo pode ser fundamental no final da temporada. Ele vale ‘seis pontos’, fará a diferença para o lado que sair vencedor. Mas ainda é cedo e dá tempo para se recuperar. Não há dúvidas sobre isso. Com nossa campanha, na segunda colocação, esperamos melhorar na tabela”, declarou o técnico do Manchester United, Alex Ferguson.

Brigar com o rival da cidade pelo título inglês é uma nova realidade para o United, que só se tornou possível com os dólares investidos no City pelo bilionário xeque Mansour Bin Zayed Al Nahyan. Para Ferguson, esta situação tem se tornado cada vez mais comum. Ele lembrou que há algumas temporadas o Chelsea, até então uma equipe mediana, se tornou um grande rival por conta de seu dono, o russo Roman Abramovich.

“Temos visto isso de tempos em tempos. É uma outra situação. É um jogo diferente na história do clube e precisamos fazer algo sobre isso. Não queremos ficar para trás de outros clubes, como ficamos atrás do Chelsea há alguns anos. Mostramos nossa determinação que nos trouxe de volta ao lugar que merecíamos estar”, afirmou.

Com este investimento, o City tem se tornado uma das principais equipes do futebol mundial. Com jogadores como Agüero, David Silva, Nasri, Dzeko, Balotelli, entre outros, tem o melhor ataque do Campeonato Inglês, com a incrível marca de 27 gols marcados em oito jogos, o que só traz mais expectativa para o clássico deste final de semana.

“É uma expectativa emocionante”, declarou o técnico do United. “O City tem feito um trabalho fantástico e, se não tivesse desperdiçado uma vantagem de 2 a 0 diante do Fulham (quando acabaram empatando por 2 a 2), estaria no topo da tabela com 100% de aproveitamento”, avaliou.