Nos dois primeiros sets, o Osasco não tomou conhecimento do Unilever (RJ) e ficou bem perto da conquista da Superliga Feminina de Vôlei. O adversário do Rio de Janeiro, entretanto, conseguiu reverter a situação complicada e provocou um apagão nas meninas de Osasco, ganhando no tie-break o título da competição.

Ao final da partida, as atletas do time carioca destacaram o crescimento do time num momento decisivo do terceiro set. “Pressionamos e acho que elas baixaram a guarda”, afirmou a levantadora Fofão. “A gente sabia que tinha que arriscar, pois o Osasco era favorito”.

“A virada que a gente conseguiu foi impressionante”, comentou a líbero Fabi, que deu um show de defesas na partida. Ela e outras companheiras de equipe ficaram espantadas com a virada em cima de um time que é base da seleção brasileira. O Osasco conta com cinco campeãs olímpicas: Jaqueline, Sheilla, Thaísa, Adenizia e Fê Garay. Camila Brait e Fabíola também já atuaram pela seleção. “Sabíamos que tínhamos apenas uma chance de ganhar deste time excepcional”, acrescentou Fabi.

O técnico Bernardinho festejou a vitória e agora passa a se concentrar nos desafios que terá pela frente com a seleção masculina de vôlei. “Tivemos uma grande superação para conseguir uma virada de 2 a 0 para 3 a 2”, opinou. “A equipe sentiu que tinha de cadenciar o jogo e o título fecha o trabalho que desenvolvemos desde o início do campeonato”, comentou o treinador.