São Paulo – O primeiro clássico do Campeonato Paulista, entre Palmeiras e Santos, foi rigorosamente igual: no placar, empate por 3 a 3, e no domínio de jogo, 45 minutos para cada time.

Os torcedores que lotaram o Palestra Itália ontem viram o time do técnico Caio Júnior ser soberano no primeiro tempo, quando abriu vantagem por 2 a 0. Mas na etapa final, prevaleceu a experiência da equipe do treinador Vanderlei Luxemburgo, que, mesmo perdendo por 3 a 1, igualou o marcador e manteve a invencibilidade no estadual.

Quem assistisse apenas ao primeiro tempo, teria certeza de que a mestria de Edmundo e a estrela de Osmar seriam suficientes para que o Palmeiras vencesse. Recuado no meio-campo, o camisa 7 deu o ritmo ao time, que envolveu o rival com investidas rápidas pelas laterais. Numa escapada pela esquerda, Michael levantou na cabeça de Osmar, que desviou para as redes, sem muito trabalho, e abriu o placar.

Mesmo em vantagem, os palmeirenses mantiveram o ritmo e chegaram, com justiça, ao segundo gol. Edmundo fez ótima jogada individual, Antônio Carlos tentou cortar, mas entregou nos pés de Osmar, que só rolou para as redes.

Reviravolta

Os visitantes voltaram mais acesos para a etapa final e viram a insistência de Pedrinho ser premiada aos 9 minutos. Kleber cobrou escanteio, Adaílton desviou de cabeça e o camisa 9 santista mandou para as redes. O gol desequilibrou a equipe da casa.

A única esperança do time do Palestra Itália ainda era Edmundo, que apareceu bem no ataque e sofreu pênalti de Antônio Carlos. O próprio camisa 7 cobrou e fez o terceiro.

Porém, ao invés de aproveitar a tranqüila vantagem, o Palmeiras parou em campo. E os alvinegros só precisaram de dois minutos para igualar. Aos 32, Kleber cobrou falta e contou com o desvio na barreira para diminuir. Em seguida, Jonas, livre na área, aproveitou o bom cruzamento de Kleber da esquerda e empatou o jogo.

Palmeirense atira e acerta perna de torcedor santista

São Paulo – Um torcedor do Santos foi ferido na perna com um tiro de revólver disparado por um palmeirense que estava na garupa de uma moto nas imediações do Shopping West Plaza, ontem, pouco antes do clássico. De acordo com o major Botelho, coordenador da PM, o torcedor santista passa bem e o incidente não tem, por enquanto, ligação com as torcidas organizadas.

Além deste incidente, também aconteceram cenas de violência nas ruas que circundam o Parque Antarctica. Antes do jogo, um confronto entre membros das duas principais organizadas do Palmeiras interrompeu o trânsito, assustou quem pagava e danificou vários carros que estavam estacionados nessas ruas.

Dentro do estádio, as torcidas organizadas de Santos e Palmeiras apenas trocaram insultos.