O Palmeiras espera uma resposta do técnico Luiz Felipe Scolari para saber se Tinga permanecerá no clube. O vice-presidente Roberto Frizzo se reuniu nesta terça-feira com representantes da DIS, que possui parte dos direitos federativos do atleta, e eles não chegaram a uma decisão sobre a situação do meia.

De acordo com Frizzo, a quem compete o departamento de futebol, será Felipão o responsável por definir o futuro de Tinga. O treinador viajou para Portugal na segunda-feira, voltará na quarta-feira à tarde, e deve conversar com o jogador na sexta. Na tarde desta terça, por exemplo, Tinga nem participou do jogo-treino dos reservas contra o Juventus, na Academia de Futebol.

Felipão está bravo com a empresa e não relacionou Tinga e Vinícius (que também pertence à DIS) nos últimos dois jogos, contra Atlético-PR e Internacional. Segundo Frizzo, o Palmeiras deve propor novo contrato para Vinícius.

“Vamos passar para os novos empresários dele, o pessoal da DIS, o plano de carreira que já tínhamos passado para ele e vamos caminhar para um encontro”, explicou o dirigente à Rádio Estadão/ESPN.

Na reunião desta tarde ficou definido que a DIS vai manter os 20 jogadores que tem na base do Palmeiras. Por enquanto, ao menos entre empresa e diretoria, a situação melhorou. Falta a opinião de Felipão – e, pelos seus últimos comentários, a bronca continua grande.

De acordo com o lateral-direito Cicinho, Tinga gostaria de seguir no Palmeiras. “Ele ficou bem chateado e chegou até a chorar por causa disso. Ele quer ficar muito aqui no clube”, contou.