Depois de 23 jogos, o Chelsea finalmente voltou a perder neste sábado. A equipe de José Mourinho desperdiçou a chance de bater um recorde na história do clube ao cair por 2 a 1 diante do Newcastle, fora de casa, com dois gols de Papiss Cissé. Drogba descontou no fim. O resultado, no entanto, ainda não ameaça a liderança dos londrinos no Campeonato Inglês.

Isso porque o Chelsea manteve os 36 pontos, com seis de vantagem para o Manchester City, que ainda atua na rodada e pode diminuir. Na quarta-feira, a equipe volta a campo pela Liga dos Campeões, já que pega o Sporting em Londres. O Newcastle, por sua vez, subiu para 23 pontos e é o sétimo no Inglês. Sábado que vem, visita o Arsenal em confronto direto por vaga nas competições europeias.

O embalado Chelsea vinha de 23 partidas sem derrotas, sendo 21 somente nesta temporada, mas perdeu a chance de estabelecer novo recorde de invencibilidade na história do clube graças a Cissé, que entrou no segundo tempo e foi o nome do jogo. Apagados, Diego Costa e Oscar pouco fizeram para impedir a queda desta marca.

Mas foi o Chelsea quem começou com tudo neste sábado e chegou três vezes com perigo antes dos 20 minutos. Na primeira, aos 10, Willian recebeu na meia-lua, cortou para a direita e bateu rente à trave. Aos 13, Hazard fez grande jogada, arrancou desde o campo de defesa e bateu à esquerda. Cinco minutos depois, o mesmo Hazard, novamente pela esquerda, rolou para Diego Costa, mas a bola ficou com Willian, que bateu de canhota. A bola passou muito perto.

Somente depois desta blitz do Chelsea, o Newcastle reagiu e equilibrou, até que aos 33 criou seu melhor momento no primeiro tempo. Pérez deu enfiada perfeita para Colback, que parou em Courtois. A resposta saiu pouco antes do intervalo. Aos 44 minutos, Oscar recebeu de Fàbregas, amorteceu de cabeça e emendou uma linda bicicleta à esquerda.

O segundo tempo começou como Chelsea novamente em cima e Mikel perdeu boa chance de cabeça aos 10 minutos. Mas a resposta do Newcastle, no minuto seguinte, foi fatal. Tioté arrancou e tocou para Ameobi na esquerda. O meia cruzou de primeira, rasteiro, a bola passou por Cahill, estabanado no lance, e sobrou para Cissé tocar para a rede.

Atrás no placar, o Chelsea passou a exercer uma forte pressão e não saia do campo de ataque. Mas abusava das bolas alçadas e, assim, não levava tanto perigo. Até que aos 32 minutos, Hazard recebeu na entrada da área e bateu rasteiro, na trave.

A pressão era toda dos londrinos, mas outra vez a resposta foi fatal. Após bola roubada no meio de campo, Colback deu enfiada perfeita para Sissoko, que se atrapalhou. Ainda assim, conseguiu tocar para o lado, para a direita, onde apareceu mais uma vez Cissé para tocar para o gol vazio, aos 34.

A partida parecia definida, mas aos 38 Taylor cometeu falta dura em Schürrle e foi expulso. Na cobrança, Fàbregas achou a cabeça de Drogba, que desviou para diminuir. O gol empolgou o Chelsea, que voltou a pressionar. Aos 43, Drogba achou Diego Costa, que bateu colocado, exigindo grande defesa de Alnwick. O goleiro ainda apareceria no minutos seguinte, após chute de longe de Filipe Luís.