Convocado de última hora para seleção brasileira, para o lugar do contundido Anderson, o volante Hernanes desfalca o São Paulo no jogo desta quarta-feira (3), contra o Atlético-MG, pela 24ª rodada do Brasileirão. Nesta terça, o técnico Muricy Ramalho lamentou a situação e revelou que a diretoria são-paulina tentou a liberação do jogador, mas o momento difícil do Brasil nas Eliminatórias atrapalhou o pedido.

“Conversamos com o Jorginho (auxiliar do técnico Dunga na seleção) e explicamos sobre liberar o jogador até quarta-feira. A resposta foi que se liberassem o Hernanes teriam que liberar todos os demais”, contou Muricy. “Se a situação da seleção fosse melhor teríamos um argumento a mais.

Apesar de estar chateado com o desfalque para o jogo contra o Atlético-MG, Muricy entendeu a situação da seleção brasileira, que enfrenta o Chile e a Bolívia nos dias 7 e 10 de setembro, respectivamente. O time do técnico Dunga está em quinto lugar nas Eliminatórias, com nove pontos, quatro a menos do que o líder Paraguai.

“A gente sente muito e fica aborrecido por ter sido em cima da hora, mas tem que ver também o momento da seleção, que passa por dificuldades. Seria melhor ter o atleta aqui, mas entendemos e temos que colaborar”, afirmou Muricy.

Apesar de concordar com a liberação do jogador, Muricy não perdeu a oportunidade de alfinetar a comissão técnica da seleção brasileira. Para ele, o volante são-paulino voltou dos Jogos Olímpicos de Pequim lento e com um rendimento abaixo do esperado. “Ele (Hernanes) voltou a ser lento, errou muitos passes. Não pôde treinar esse tipo de fundamento, e agora teria um tempo, mas não estará aqui”, afirmou.