te41221204.jpg

Flávio está na mira do Santa Cruz.

Vai ou não vai? A pergunta tornou-se recorrente no dia-a-dia do Paraná Clube. As especulações correm soltas e a cada momento surge uma nova possibilidade, um novo "tiro no escuro". Mesmo tendo o clube permanecido quase que a metade do Brasileirão na UTI, vários de seus jogadores viraram alvo de assédio de equipes País afora. De Flávio a Galvão, quase todos os titulares já foram sondados para uma eventual transferência.

A diretoria sabe que será impossível segurar todos, mas acredita que a base não se dissipará – como no ano passado – independente da cota de televisão não ter sido reajustada com o mesmo índice aplicado aos integrantes do Clube dos 13. "Era uma situação já previsível e que não nos abala", assegurou o vice de futebol José Domingos. "Somos um dos primos pobres do Brasileirão. Mas, com criatividade e critério na montagem do elenco podemos virar esse jogo em campo."

"O dinheiro ajuda, mas não é tudo. Grêmio, Guarani e Vitória, com cotas muito superiores à nossa caíram e terminamos a temporada à frente de Vasco, Botafogo e Flamengo, clubes que ficam com a maior fatia do bolo", comentou Domingos. O dirigente reafirmou que o Tricolor vai manter no ano que vem a mesma austeridade em relação às questões financeiras do clube. "Pagamos salários de novembro e 13.º de atletas e funcionários. Os jogadores receberam parte da premiação e outra parcela estará sendo depositada nos próximos dias. Essa regra será mantida até o término da gestão de José Carlos de Miranda", garantiu.

Para José Domingos, ao ter conseguido pagar suas obrigações, o Paraná evitou uma crise interna, que seria desastrosa diante dos problemas técnicos de um time que foi "construído" ao longo do Brasileiro. "Agora é tentar encontrar soluções para que consigamos reforçar o grupo e novamente brigar pelo título estadual. Esse planejamento não irá se alterar." O primeiro passo envolve a renovação do contrato de Paulo Campos. O técnico pretendia dar uma resposta ao clube até o fim de semana, mas já admite só tratar do assunto a partir do dia 3 de janeiro.

A diretoria quer uma definição antes da viagem do treinador para Cancun, onde passará as férias ao lado da família. Campos praticamente descartou a oferta do Catar. "Eles até me mandaram a passagem, mas minha esposa e filha querem que eu permaneça no Brasil", disse o técnico. O que pode "fazer a cabeça" de Paulo Campos seria um convite de Vanderlei Luxemburgo. O técnico campeão brasileiro pode estar trocando o Santos pelo Corinthians e já manifestou desejo de contar com Campos como seu auxiliar.

"É algo que mexeria comigo, pois tenho uma dívida de gratidão com o Vanderlei e não vejo como retrocesso trabalhar como seu assistente", disse.

Santa de olho no Pantera

Dois jogadores pouco citados em possíveis transações ontem ganharam espaço no noticiário tricolor. O Santa Cruz manifesta desejo de contratar o goleiro Flávio para a disputa da Série B. O clube pernambucano porém, já teria uma outra alternativa, no caso de uma resposta negativa do Pantera: Cléber, do Atlético Paranaense.

Flávio fez uma contraproposta ao Paraná Clube, mas a definição quanto a sua permanência ficou para janeiro, a partir da reapresentação do elenco. "Acredito que chegaremos a um acerto. Mas, é bom destacar, não faremos loucura", comentou José Domingos. O goleiro, destaque da equipe no Brasileirão, afirmou seguidamente que sua intenção é permanecer em Curitiba, onde está há tempos e possui negócios.

Já Fernando Lombardi estaria nos planos do Internacional. Seria uma alternativa no caso de não conseguir a contratação de Índio, do Juventude. É a bolsa de apostas que se mantém em ritmo acelerado pelos lados do Tricolor. Depois do São Paulo manifestar interesse, agora é o Palmeiras que estaria interessado na contratação de Cristian. O time paulista fez consulta ao escritório de Juan Figger há algumas semanas, mas até o momento não formalizou proposta pelo jogador.

Em Porto Alegre, comenta-se que o Internacional também estaria na parada. Mas, o Paraná tem contrato com o jogador até 2006 e Cristian, que viajou para Uruguaiana, sua terra natal, garantiu que no dia 5 se apresentará na Vila Capanema. Se o destino do meia for mesmo o Palmeiras, Paulo Campos já indicou Diego Souza como uma opção interessante para entrar na transação.