Rio (AE) – Atletas brasileiros e de mais seis países disputam hoje a Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro, a partir das 9 horas, em um percurso de 21.097 metros, com largada na Praia de São Conrado e chegada no Aterro do Flamengo. Na briga pelo título da edição deste ano, seletiva nacional para o Mundial na Índia, estão além dos brasileiros, quenianos, etíopes, ugandenses, portugueses e argentinos.

“Apesar de ter de enfrentar adversários mais fortes este ano, acho que estou preparado para vencer novamente. Espero completar a prova em 1h01min ou 1h02min”, disse o queniano Philip Rugut, de 27 anos, atual bicampeão da competição. Também vencedora das duas últimas edições da Meia Maratona, Anne Jelagat, de 35 anos, concordou com seu compatriota e lembrou que apesar do calor carioca, seu objetivo é o de melhorar o tempo da vitória no ano passado: 1h13min53s.

A prova, que reunirá cerca de 13.300 atletas, também é uma boa oportunidade para os corredores brasileiros obterem bons resultados.

Apontado por Rugut como um dos favoritos, o mineiro Frank Caldeira, atual campeão da Maratona de São Paulo, agradeceu os elogios.

“Terei que fazer uma tática diferente. Quando ninguém te conhece, você pode pegar os outros de surpresa”, disse Caldeira. “Agora, tenho de fazer uma prova mais consistente. Quero muito brigar por um lugar no pódio.”

Já na edição feminina da prova o Brasil terá duas atletas bringando para quebrar a hegemonia de Jelagat: Maria Zeferina Baldaia e Márcia Narloch. Campeã da Corrida de São Silvestre de 2001, a mineira foi indicada pela queniana como sua principal adversária hoje.

“Fui segunda colocada na edição de 2002 da Meia Maratona do Rio e acho que por isso ela me conhece”, lembrou Maria Zeferina, 32 anos. “Estou bem treinada e recuperada de alguns problemas físicos.” Participam ainda da prova, o queniano John Gwako, campeão das edições de 1998 e 2000, além de recordista da prova com o tempo de 1h01min48s, e sua compatriota Debora Mengich, vice-campeã da São Silvestre, no ano passado. O vencedor da São Silvestre de 2002, o queniano Robert Cheruiyot, também correrá pelas ruas do Rio. No total serão distribuídos US$ 70 mil (cerca de R$ 210 mil) em prêmios. Os vencedores masculino e feminino da prova receberão R$ 15 mil. Além de uma premiação extra, caso o recorde da Meia Maratona seja superado.